Páginas


(clique abaixo para ouvir a música)

LITURGIA DIÁRIA

LITURGIA DIÁRIA - REFLEXÕES E COMENTÁRIOS

Diário de Quinta-feira 02/10/2014



Quinta-feira, 02 de outubro de 2014

“Quem se omite, indiretamente se associa.” (Benjamim Constant)


EVANGELHO DE HOJE
Mt 18, 1-5.10

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo, + segundo Mateus.
— Glória a vós, Senhor!


Naquele momento os discípulos chegaram perto de Jesus e perguntaram:
- Quem é o mais importante no Reino do Céu?
Jesus chamou uma criança, colocou-a na frente deles e disse:
- Eu afirmo a vocês que isto é verdade: se vocês não mudarem de vida e não ficarem iguais às crianças, nunca entrarão no Reino do Céu. A pessoa mais importante no Reino do Céu é aquela que se humilha e fica igual a esta criança. E aquele que, por ser meu seguidor, receber uma criança como esta estará recebendo a mim.
- Cuidado, não desprezem nenhum destes pequeninos! Eu afirmo a vocês que os anjos deles estão sempre na presença do meu Pai, que está no céu.



Palavra da Salvação
Glória a vós Senhor.





MEDITAÇÃO DO EVANGELHO
Padre Antonio Queiroz


Os seus anjos no céu vêem sem cessar a face do meu Pai que está nos céus.
Hoje celebramos os Santos Anjos da Guarda. No Evangelho, próprio da festa, Jesus nos alerta que as crianças, embora fracas e inocentes, têm protetores muitos espertos e competentes, que são seus anjos da guarda.
Os anjos da guarda protegem a todos, mas principalmente aos “pequeninos” que são as crianças, os pobres, os mais fracos e indefesos. Precisamos tomar cuidado em não prejudicar esses pequenos, pois, como disse Jesus, seus anjos “vêem sem cessar a face do meu Pai que está nos céus”. Eles podem, portanto, nos acusar diante de Deus.
A Igreja sempre acreditou que cada um de nós tem um anjo protetor. É uma espécie de segurança particular, nas vinte e quatro horas do dia. Nosso Deus não é só poderoso e Pai cheio de amor. Ele é também criativo, usando recursos originais para proteger cada um de seus filhos e filhas.
Pedro, na cadeia, é libertado por seu Anjo (At 12,7-11.15).
Existem os demônios, mas existem também anjos bons que nos protegem. Ninguém tem direito de ser pessimista. Podemos caminhar sem medo pela vida, buscando a felicidade e a construção do Reino de Deus.
“O anjo de Javé foi meu guardião, tanto indo daqui para lá, como vindo de lá até aqui” (Judite). Após a sua vitória sobre Holofernes.
“Vou enviar um anjo que vá à sua frente, que guarde você pelo caminho e o conduza até o lugar que lhe preparei. Respeite-o e ouça a sua voz”
(Ex 23,20-21).
“O Senhor ordenou a seus anjos que guardem você em seus caminhos. Eles o levarão nas mãos, para que seu pé não tropece numa pedra” (Sl 91,11-12).
Peregrina sobre a terra, a Igreja associa-se às multidões dos anjos que na Jerusalém celeste cantam a glória de Deus.
Havia, certa vez, um rapaz recém casado que estava desempregado. Depois de muita procura, ele rezou, pedindo a ajuda de Deus. Um dia, apareceu na sua casa um rapaz. Como ele não estava, disse à sua esposa que era para o marido comparecer em tal empresa, que seria admitido como funcionário.
Quando o esposo chegou, ficou admirado, porque nunca tinha ido àquela empresa procurar serviço; nem a conhecia. Mesmo assim, foi imediatamente lá, e foi admitido.
Sua esposa nunca viu, na empresa, um rapaz parecido com aquele que foi à sua casa. E ninguém da empresa havia mandado alguém à casa dele, pois nem tinham o seu nome no departamento pessoal.
Em todo caso, deve haver uma explicação natural para o fato. Mas o certo é que temos um protetor muito sábio e interessado em nos ajudar, que é o nosso Anjo da Guarda.
Maria Santíssima acreditou na mensagem que Deus lhe mandou através do Anjo Gabriel. Que nós também, “conhecendo pela anunciação do Anjo a encarnação de Jesus, cheguemos por ele à glória da ressurreição”.
“Santo anjo do Senhor, meu zeloso guardador, se a ti me confiou a piedade divina, sempre me rege, guarda, governa e ilumina. Amém.”
Os seus anjos no céu vêem sem cessar a face do meu Pai que está nos céus.




MUNDO ANIMAL


Que calor! Saiba como ajudar seu cão durante o verão
Por Rafael Pinto


Se nós, humanos, já sofremos com as altas temperaturas do verão, imagine a vida dos amigos caninos nessa época do ano. A sensibilidade dos cães é diferente da nossa e depende muito da raça e do tipo de pelagem. No geral, os cachorros sentem mais calor - e mais frio também, principalmente os pets de pelo curto - do que as pessoas.
“Além de causar desconforto, a hipertermia pode provocar convulsões e, nos casos mais extremos, levar o cãozinho à morte”, diz o veterinário Artur Fernandes, que atende no bairro de Perdizes, em São Paulo.
Leia também:
Cãozinho na cama é tão bom… mas pode?
Por que adotar um vira-lata é uma ótima opção?
Cães abandonados são clicados a caminho de suas novas famílias
Artur afirma que a falta de cuidados dos donos é um problema grave, e que, infelizmente, é muito comum no verão. “Medidas básicas, como não deixar o animal no jardim, exposto ao sol, nos dias de calor intenso, muitas vezes, não são tomadas. A hipertermia é extremamente prejudicial à saúde do cão e causa muito sofrimento, pois os cachorros têm um mecanismo diferente do nosso para regular a temperatura do corpo. Eles não transpiram”, afirma.
Os cuidados devem ser ajustados ao tipo de animal que se tem em casa. Raças típicas de regiões mais frias, como Husky Siberiano, Bernese e São Bernardo, têm dificuldades naturais de adaptação ao verão devido à pelagem densa, devendo receber cuidados reforçados. Já pugs e buldogues ingleses, mais propensos à obesidade, também podem sofrer com o calor.
Sete dicas de Artur Fernandes para aliviar o calor do seu cão:
1)Não force passeios: apesar de importantes para liberar a energia do cão e mantê-lo saudável, os exercícios físicos aumentam a temperatura corporal e podem ser um perigo para o cão.

2) Estimule a tranquilidade: essa dica complementa a anterior. Ajude seu pet a se manter calmo, sem atividades que o deixem muito agitado.

3) Crie espaços frescos: é importante que o cão tenha uma área de fácil acesso para se refrescar. Se a casa tiver jardim, uma opção é mudar a casinha do mascote de lugar, para debaixo de uma sombra ou próximo à varanda da casa.

4) Água em abundância: espalhe potes de água pelo ambiente ocupado pelos peludos, para que eles sempre tenham como se hidratar facilmente. Lembre de trocar a água várias vezes ao dia, mantendo o líquido sempre fresquinho.

5) Dê banhos frios: naquelas dias de calor mais intenso, se o seu cachorro parecer muito debilitado e ofegante, dar um banho frio ajuda a aliviar o mal estar.

6) Ar condicionado: nos passeios de carro, principalmente nos mais longos, deixe o ar condicionado ligado. Ao sair do veículo, nunca deixe o bicho sozinho, mesmo que as janelas estejam abertas.

7) E, por último: mantenha a tosa em dia! No entanto, jamais aumente a frequência do corte sem consultar o veterinário primeiro. Como cada raça tem seu ritmo e suas necessidades específicas, é importante ter auxílio profissional para encontrar um equilíbrio nos cuidados.




MOMENTO DE REFLEXÃO


Desvie-se!
Daquela ideia de vingança, por mais que você acredite que seja um direito seu.
O ódio é uma faca de duas pontas, uma está sempre voltada para nós mesmos.
Desvie-se
De pessoas que insistem em te julgar.
Para saber o que você passa tem que viver o que você vive, e isso, só você para sentir.
Desvie-se!
De pessoas bajuladoras, que vivem puxando o saco.
Quase sempre tem algum interesse e na hora que você precisar, elas são as primeiras a te abandonar.
Desvie-se!
Dos amores e pessoas problemáticas.
Amores enrolados, situações mal resolvidas...
Fuja, respeite o seu espaço e o seu fígado.
Quer chorar? Vai assistir um filme dramático.
Pelo menos quando acabar você sabe que era apenas um filme...

Desvie-se!
Dos que te desviam, ou querem te desviar do bom caminho.
Do caminho que você acredita ser o mais justo.
Pessoas assim, querem apenas te arrastar para o buraco em que vivem.
Desvie-se!
Das facilidades da reclamação.
Antes, concentre-se em encontrar uma solução.
Pense, reaja, lute, insista, levante-se, limpe o rosto, seja a força que deseja ver nos outros.
Desvie-se!
Da dor, seja ela qual for, com a certeza de que tudo passa.
Até nós, que somos eternos, passaremos.
Então, desvie-se das pedras e abrace as flores.
A vida pede mais do que sonhos.
Pede atitudes.


Paulo Roberto Gaefke


Diário de Terça-feira 30/09/2014



Terça-feira, 30 de setembro de 2014

“Só porque a água está calma, não pense que não há crocodilos.” (provérbio malaio)




EVANGELHO DE HOJE
Lc 9, 51-56


— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo, + segundo Lucas.
— Glória a vós, Senhor!


51Estava chegando o tempo de Jesus ser levado para o céu. Então ele tomou a firme decisão de partir para Jerusalém 52e enviou mensageiros à sua frente. Estes puseram-se a caminho e entraram num povoado de sama­ritanos, a fim de preparar hospedagem para Jesus. 53Mas os samaritanos não o receberam, pois Jesus dava a impressão de que ia a Jerusalém. 54Vendo isso, os discípulos Tiago e João disseram: “Senhor, queres que mandemos descer fogo do céu para destruí-los?” 55Jesus, porém, voltou-se e repreendeu-os. 56E partiram para outro povoado.


Palavra da Salvação
Glória a vós Senhor.





MEDITAÇÃO DO EVANGELHO
Padre Antonio Queiroz


Bom dia!
Se recordarmos outro trecho do evangelho (o da Samaritana) poderemos criar um desfecho equivocado a esse evangelho.
”(…) Ora, devia passar por Samaria. Chegou, pois, a uma localidade da Samaria, chamada Sicar, junto das terras que Jacó dera a seu filho José. Ali havia o poço de Jacó. E Jesus, fatigado da viagem, sentou-se à beira do poço. Era por volta do meio-dia. Veio uma mulher da Samaria tirar água. Pediu-lhe Jesus: Dá-me de beber“. (João 4, 4-7)
Poderíamos pensar: “não foram esses mesmos samaritanos que se converteram ao ouvir a mulher falar de Jesus”? “não são eles que acolheram a mensagem e agora não querem que Jesus passe por seu território”?
Nada podemos afirmar se era a mesma região ou o mesmo povoado visto que a região da Samaria era extensa e se assim for verdade cairia por terra nossa primeira impressão de traição. Quem não imaginaria a cena e não se revoltaria com o povo. Sem saber da plena verdade dos fatos criamos algo odioso chamado pré-conceito.
É claro que nossas convicções poderiam estar certas sobre o fato, mas nossos esquemas pessoais sobre o mundo e sobre as pessoas precisam mudar. Precisamos “adivinhar” menos!
Quem nunca ouviu estórias e contos de pessoas simples, trajando roupas simples entrarem em lojas e não serem atendidas, pois os vendedores “pensavam que era perca de tempo”? Quem nunca ouviu também estórias de pessoas desprezadas aos olhos comprarem a loja à vista?
Jesus era um “problema”. Sua presença na região trazia a atenção dos poderosos e influentes para onde estava e com quem falava. Quantos não foram interrogados pelos mestres da lei após serem curados buscando um traço de mentira nos milagres do homem de Nazaré? Muita gente não queria que Jesus as encontrasse, pois tinham receio de serem vistos como um dos seus. Que o diga Nicodemos, José de Arimatéia e outros que foram seus seguidores em silêncio
Muita gente preferia admirá-lo de longe, sem se comprometer; viam talvez nele a esperança, mas o medo as impedia de segui-lo. Reparem na seqüência imediata desse evangelho que alguns desejam segui-lo mas ainda não conseguem abandonar o velho regime. Cada qual a seu tempo, pois todos temos nossas limitações e cárceres.
Esse trecho antecede o envio dos discípulos (setenta e dois) de dois em dois pelas regiões da Judéia. Jesus identifica o medo que os impedia de mudar sua vida, mas não deseja que  se exponham. “(…) O senhor quer que a gente mande descer fogo do céu para acabar com estas pessoas? PORÉM JESUS, VIRANDO-SE PARA ELES, OS REPREENDEU”.
O Senhor talvez não desejasse que fossem julgados pelo medo (pré-conceito, limitações pessoais) e sim pelas atitudes de fé e coragem. Na passagem seqüencial que manda que os setenta e dois aos vilarejos, propõe uma mudança de atitude: o medo deve dar lugar a paz! Uma pequena porta que se abre para a acolher a Jesus torna-se maior que os pecados e erros de outrora.
Talvez essa narrativa explique por que tanta gente cantou aquela música “faz um milagre em mim”.
“(…) Entra na minha casa. Entra na minha vida. Mexe com minha estrutura; Sara todas as feridas. Me ensina a ter Santidade; Quero amar somente a Ti, Porque o Senhor é o meu bem maior, Faz um Milagre em mim”
Muita gente que também o ama em segredo com medo de se expor. Somos muito mais que setenta e dois, levemos a paz!
Um imenso abraço fraterno.




VIDA SAUDÁVEL


Olhar para frente
A expressão é uma daquelas que a gente usa corriqueiramente. No entanto, tomar essa atitude pode fazer toda a diferença na sua vida.


Pare e pense: por que será que, muitas vezes, a gente demora tanto tempo para decidir entre uma coisa e outra? Fica pensando nos prós e contras, lembrando que existem os sacrifícios e os desapegos, aqueles detalhes que a gente não quer largar. Como ir para a frente sem olhar para trás? Difícil. Mas a decisão precisa ser tomada, o futuro espera. A melhor saída é não vacilar e assumir a direção da sua vida. Pare de se sentir obra do insucesso ou vítima das próprias atitudes. Pense que está mais do que na hora de transformar velhos hábitos em novas perspectivas, de encarar desafios. Na realidade, está mais do que na hora de movimentar a sua mente. Lembre-se: ao olhar para a frente, é preciso, em primeiro lugar, examinar o que está dentro de você. E essa é a grande sacada: vai enxergar o que tem que ser mudado e analisar o que faz bem, quais são as características que ajudam você a alcançar sucesso em diferentes áreas – inclusive nos treinos. Porém, é bom reforçar que sucesso não é apenas algo esplêndido que você realiza, mas suas competências diárias para tocar a vida – como o tempo que consegue dedicar no seu dia a dia para se exercitar. São essas pequenas ações do cotidiano que vão impulsioná-la a realizar novas transformações.

Para isso, no entanto, é necessário sair da zona de conforto, o que é difícil. Quer um exemplo? Você deve ter aquela amiga que deseja perder peso, mas teme enfrentar a restrição de alimentos. Ou, então, uma conhecida que é louca para correr uma meia maratona, mas não se sente pronta para encarar o desconforto da nova empreitada. É fato: sem esforço não há crescimento. Muitas vezes, você tem que deixar de lado o caminho conhecido, confortável, aquele que dá absoluta segurança. Precisa voltar a atenção para si própria, relacionar-se consigo mesma, deixar o seu eu real confrontar o seu eu ideal. É ruim olhar-se no espelho e dar de cara com alguém que não mantém sua palavra – e saber que essa pessoa é você. Assim, para cada mudança, tenha uma ação, tome uma atitude – sempre olhando para a frente. E não esqueça que essa atitude será fundamental para o seu bem-estar, para a sua tranquilidade mental, para o seu futuro.




MOMENTO DE REFLEXÃO


Linda era uma modelo famosa. Requisitada e disputada, conseguia contratos milionários. Apesar do dinheiro, da fama e da beleza, ela não era feliz.

Sentia um imenso vazio por dentro. Sofria de pavor, ansiedade e insônia. Pensou em tomar medicamentos. Alguns amigos aprovaram, outros não.

Ela decidiu procurar outras terapias. Assinou contratos que jamais havia sonhado. Trabalhava muito, mas continuava atormentada.

Um dia, pela manhã, indo de carro para o trabalho, pelo caminho costumeiro, o trânsito parou. Um guarda estava desviando todo o trânsito para uma ruazinha estreita, porque um encanamento havia rompido na avenida principal.

Dirigindo lentamente pela rua desconhecida, ela passou em frente a uma igreja. Um cartaz, escrito à mão, dizia: "sem Deus não há paz. Conheça Deus, conheça a paz. Todos são bem-vindos".

Ela achou estranho e seguiu em frente. No dia seguinte, fazendo o mesmo trajeto, o trânsito parou. Um incêndio em uma loja fez com que, outra vez, o trânsito fosse desviado por aquela mesma ruazinha.

"De novo!", Pensou linda. E passou outra vez pela igreja. Lá estava o cartaz, que agora lhe pareceu atraente. De dentro do carro, espiou o interior da igreja.

No terceiro dia, ela pensou em mudar de trajeto. Mas achou que estava sendo muito boba. Afinal, qual era a probabilidade de em três dias seguidos, acontecer o desvio do trânsito, no mesmo local?

"Vai ser um teste", pensou. "Se acontecer alguma coisa e o trânsito for desviado, vou ter certeza de que é um sinal".

Quando ela chegou na avenida, lá estavam os policiais outra vez. Um grande acidente, explicou um dos policiais, desviando o trânsito, para a já conhecida ruazinha.

"É demais", falou linda, consigo mesma. Estacionou o carro e entrou na igreja. Lá dentro, havia apenas um padre. Ele ergueu os olhos, olhou para ela com um sorriso e perguntou:

"Por que demorou tanto?" – Ele havia visto o carro de linda passar ali nos três dias. Eles conversaram muito e como resultado, linda passou a freqüentar a pequena igreja.

Encontrou a paz e a serenidade que estava esperando. Exatamente como dizia o cartaz. Ela precisava de Deus na sua vida. E, sem dúvida, fora Deus que providenciara para que, de alguma forma, entendesse que ela precisava voltar-se para ele, alimentar o seu espírito com a fé, a esperança e o amor.

...............

A providência divina sempre se faz presente em nossas vidas. Ocorre que, nem sempre, estamos de olhos e ouvidos atentos para perceber e entender.

Filhos bem-amados do Criador, não podemos esquecer de buscar o amparo desse Pai amoroso e bom, para que nele encontremos o nosso refúgio seguro.

Muitos O procuram nas igrejas, nos templos. Outros, nos livros. Alguns tentam o coração do próximo para ver se ali descobrem Deus.


Em verdade, muitos são os caminhos, mas o encontro verdadeiro se dá portas a dentro do nosso coração.

Diário de Segunda-feira 29/09/2014


Segunda-feira, 29 de setembro de 2014

“Quando você tem que comprar, use seus olhos, não seus ouvidos." (Provérbio Checo)




EVANGELHO DE HOJE
Jo 1,47-51

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo, + segundo João.
— Glória a vós, Senhor!


Quando Jesus viu Natanael chegando, disse a respeito dele:
- Aí está um verdadeiro israelita, um homem realmente sincero.
Então Natanael perguntou a Jesus:
- De onde o senhor me conhece?
Jesus respondeu:
- Antes que Filipe chamasse você, eu já tinha visto você sentado debaixo daquela figueira.
Então Natanael exclamou:
- Mestre, o senhor é o Filho de Deus! O senhor é o Rei de Israel!
Jesus respondeu:
- Você crê em mim só porque eu disse que tinha visto você debaixo da figueira? Pois você verá coisas maiores do que esta. Eu afirmo a vocês que isto é verdade: vocês verão o céu aberto e os anjos de Deus subindo e descendo sobre o Filho do Homem.


Palavra da Salvação
Glória a vós Senhor.





MEDITAÇÃO DO EVANGELHO
Padre Antonio Queiroz


Vereis o céu aberto e os anjos de Deus subindo e descendo sobre o Filho do Homem.
Hoje nós celebramos três arcanjos: Miguel, Gabriel e Rafael. O Evangelho é próprio da festa.
A palavra anjo significa enviado, mensageiro; eles são os mensageiros de Deus para nós.
A Bíblia fala mais de trezentas vezes a respeito dos anjos. E a Igreja sempre acreditou na existência deles. A presença dos anjos em nossa vida é mais um sinal do amor infinito de Deus por nós, e da sua criatividade em promover a nossa felicidade e salvação.
Os anjos estão muito ligados à nossa tradição católica brasileira. Basta ver as nossas igrejas de estilo barroco e colonial, quantos anjos têm.
No Antigo Testamento, os anjos aparecem muitas vezes como simples manifestações de Deus. A expressão “Anjo de Javé”, que aparece muito no Antigo Testamento, designa o próprio Javé (Deus) enquanto se manifesta aos homens.
Nós não sabemos como que os anjos são realmente. Isso nos ultrapassa e não nos foi revelado, talvez porque nem precisa. Mas alguma coisa sabemos. Eles são espíritos, criados por Deus para nos ajudar: “Não são todos eles (os anjos) espíritos que estão encarregados de um ministério, enviados a serviço daqueles que deverão herdar a salvação?” (Hb 1,14).
As representações dos anjos em forma de crianças com asas são puramente imaginárias. É um modo que a tradição cristã encontrou para expressá-los.
Quanto aos três arcanjos da festa de hoje, S. Miguel (Quem é como Deus?) é o arcanjo que se insurgiu contra satanás e seus seguidores (Jd 9; Ap 12,7; Zc 13,1-2). Ele é o defensor dos amigos de Deus (Dn 10,12.21) e o protetor do seu povo (Dn 12,1).
S. Gabriel (Força de Deus) é um dos espíritos que estão diante de Deus (Lc 1,19), revela a Daniel os segredos do plano de Deus (Dn 8,16; 9,21-22), anuncia a Zacarias o nascimento de João Batista (Lc 1,11-20) e a Maria o nascimento de Jesus. S. Gabriel é o mensageiro de Deus, que dá sempre boas notícias.
S. Rafael (Deus cura) está também entre os sete anjos que estão diante do trono de Deus (Tb 12,15; Ap 8,2). Ele acompanha e protege Tobias nas peripécias de sua viagem e cura-lhe o pai cego. A missão de S. Rafael é nos proteger.
A Igreja peregrina sobre a terra associa-se às multidões dos anjos que na Jerusalém celeste contam a glória de Deus (Ap 5,11-14).
Dia 29 de setembro recorda a dedicação da basílica de S. Miguel, em Roma, inaugurada no séc. V.
No Evangelho de hoje Jesus fala: “Vereis o céu aberto e os anjos de Deus subindo e descendo sobre o Filho do Homem”. É uma referência ao sonho de Jacó (Cf Gn 28,12). Ele viu o céu aberto, uma escada que ligava a terra ao céu, e os anjos de Deus subindo e descendo. Embaixo estava o Filho do Homem, isto é, Jesus, colocando a escada. Na verdade, a escada é o próprio Jesus, que recuperou a ligação entre a terra e o céu, ligação que fora rompida pelo pecado original. A escada simboliza também todas as manifestações de Deus aos homens: a natureza, os acontecimentos da história, os profetas, a Bíblia... e também os anjos. Por essa escada “é chuva que à terra desce, é prece que sobe ao céu”.
Certa vez, em um orfanato ouvia-se um murmúrio excitado, porque uma senhora estava para chegar e levar a pequena Ana Paula com ela para a sua casa. A menina ainda estava confusa em seus pensamentos.
“Você quer ir comigo para casa e ser minha filha?” perguntou a senhora falando delicadamente. “Eu não sei”, respondeu Ana Paula timidamente. “Mas eu vou dar a você roupas bonitas e muitas outras coisas. Você terá um quarto só seu e uma mesa com cadeira”.
Depois de um pequeno momento em silêncio, a menina falou com ansiedade: “Mas o que terei de fazer para ganhar tudo isso?” Com lágrimas correndo pelo rosto, a senhora lhe disse: “Apenas amar-me e ser minha filha”. Disse isso enquanto abraçava a menina junto a seu peito.
Deus nos adotou como filhos e filhas e nos dá tanta coisa, inclusive os anjos como protetores. E tudo o que ele pede de nós é que o amemos e lhe obedeçamos.
S. Gabriel trouxe para nós a maior alegria do mundo, transmitindo a Maria Santíssima a grande notícia vinda de Deus, de que ela foi escolhida para ser a Mãe do Messias. Na primeira parte da Ave Maria, nós repetimos, agradecidos, aquelas palavras do arcanjo S. Gabriel.
Vereis o céu aberto e os anjos de Deus subindo e descendo sobre o Filho do Homem.




MOTIVAÇÃO NO TRABALHO

Abaixo a Mediocridade!
Escrito por Luiz Marins


Nestes anos finais do século XX, a grande verdade é que ninguém terá o direito de ser medíocre.
Medíocre é a pessoa que pensa pequeno. Medíocre é aquele que se economiza. Medíocres são aquelas pessoas que não querem se envolver, se comprometer. Medíocres são aqueles que só vêm crise e não oportunidades. Medíocre é aquele que não acredita em si próprio e na sua capacidade de vencer obstáculos. Medíocres são aquelas pessoas que só falam de desgraças, de doenças. Medíocres são aqueles que ocupam seu tempo falando mal dos outros. Medíocre é aquele que só vê o erro. Medíocre é aquela pessoa que só pensa em proibir. Medíocres são aqueles que têm medo do sucesso. Medíocres são os arrogantes. Medíocre é o que não aceita críticas. Medíocres são as pessoas que se deixam influenciar facilmente. Medíocres são os invejosos. Medíocres são os cansados, os sem-vontade, os sem-energia.
Medíocre, enfim,  é o fracassado e aquele que coloca o seu fracasso como culpa alheia.
O espaço dos medíocres está a cada dia mais limitado. O mundo de hoje é dos positivos. O mundo de hoje é dos que fazem. O mundo de hoje é dos que se comprometem, dos que se envolvem, dos que se "sujam" por uma causa justa. O mundo de hoje é dos que têm uma opinião. Daquele que sabe que o sucesso depende muito mais de si próprio e do seu esforço do que da benevolência dos outros. O mundo de hoje é dos proativos. O mundo de hoje é dos que vão à luta. O mundo de hoje é dos que acreditam. O mundo de hoje é dos que têm disposição para mudar constantemente. O mundo de hoje é dos que têm desejo de aprender, de crescer, de ser mais e melhor.
O mundo de hoje, enfim, é dos que têm entusiasmo pelo que fazem e pela vida.
Nesta semana, gostaria que você se autoanalisasse e visse como você próprio se classifica. Abaixo a mediocridade.
Pense nisso. Sucesso!





MOMENTO DE REFLEXÃO


Raciocinar é uma arte que merece uma reflexão mais detida por parte de todos nós.

Mas, e o que é raciocinar?

Segundo os dicionários, raciocinar é fazer uso da razão para conhecer, para julgar da relação das coisas; ponderar; pensar.
De maneira geral nós estamos raciocinando a maior parte do tempo, pois pensamos, fazemos cálculos, tiramos conclusões.
Todavia, quando se trata de tomar decisões em nossas ações diárias, parece que nossa capacidade de raciocinar fica prejudicada ou é abafada pelo egoísmo.
Quando estamos no trânsito, por exemplo, e há um veículo atravessado na rua, cujo motorista espera que alguém lhe de a vez para poder seguir, a razão diz que se o deixarmos passar o tráfego fluirá melhor, beneficiando a todos, mas geralmente não é essa a nossa decisão.
Quando passamos por um lugar onde houve um acidente, e a aglomeração de pessoas está grande, ao invés de ouvirmos os apelos da razão para seguir em frente e não atrapalhar, as mais das vezes nos juntamos à multidão só para satisfazer a curiosidade e julgar a ocorrência sem conhecimento de causa.
Se vamos assistir a um espetáculo, um evento qualquer, o bom senso nos adverte que o melhor é ocupar os lugares mais distantes dos corredores, para facilitar a entrada dos que chegarão depois.
Mas o que acontece geralmente, é que nos sentamos nas primeiras cadeiras e quem chegar depois que passe nos espaços apertados que deixamos. E, por vezes, ainda reclamamos pelo fato de ter que encolher as pernas para que os outros passem.
Outra situação bastante despropositada é a das mães ou pais com crianças pequenas que ocupam lugares de difícil acesso.
Se for um evento em que se faz necessário o silêncio, quando os pequenos começam a chorar ou gritar, esses pais perturbam a metade da platéia até chegarem às portas de saída.
Todas essas situações poderiam ser evitadas se usássemos a arte de raciocinar, tomando sempre as decisões mais racionais.
Nas questões emocionais, o raciocínio sempre é bom conselheiro, mas o que acontece amiúde, é que não lhe damos ouvidos, preferindo agir como os irracionais.
Se necessitamos chamar atenção de um filho, ou outro familiar, por exemplo, e percebemos que este chega nervoso, irritado, a razão nos aconselha deixar para outro momento, mas, infelizmente, nem sempre a ouvimos e despejamos sobre ele uma enxurrada de palavras ásperas, agravando a situação.
Se o namorado ou namorada nos diz que já não somos mais o amor da sua vida, a razão pede que nos afastemos, mas nem sempre é assim que agimos. E é por esse motivo que muitos crimes passionais são cometidos.
Vale a pena prestar mais atenção nessa faculdade bendita que Deus nos deu, chamada razão.
Se lhe déssemos ouvidos, aliando-a ao sentimento, por certo, evitaríamos muitos males, tanto para nós quanto para os outros.

...............


Quando suas vistas contemplarem as densas nuvens cinzentas que pairam há apenas alguns metros de altura, ouça com atenção a voz da razão a lhe dizer, com toda segurança que logo acima brilha o sol, soberano, que vencerá as trevas em pouco tempo.


Diário de Domingo 28/09/2014


Domingo, 28 de setembro de 2014

“Existem pessoas que usam roupas muito caras, mas têm sentimentos muito baratos.”




EVANGELHO DE HOJE
Mt 21,28-32

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo, + segundo Mateus.
— Glória a vós, Senhor!


"Que vos parece? Um homem tinha dois filhos. Dirigindo-se ao primeiro, disse: 'Filho, vai trabalhar hoje na vinha!' O filho respondeu: 'Não quero'. Mas depois mudou de atitude e foi. O pai dirigiu-se ao outro filho e disse a mesma coisa. Este respondeu:' Sim, senhor, eu vou'. Mas não foi. Qual dos dois fez a vontade do pai?" Os sumos sacerdotes e os anciãos responderam: "O primeiro." Então Jesus lhes disse: "Em verdade vos digo que os publicanos e as prostitutas vos precedem no Reino de Deus. Pois João veio até vós, caminhando na justiça, e não acreditastes nele. Mas os publicanos e as prostitutas creram nele. Vós, porém, mesmo vendo isso, não vos arrependestes, para crer nele.


Palavra da Salvação
Glória a vós Senhor.





MEDITAÇÃO DO EVANGELHO
Padre Antonio Queiroz


João veio, e os pecadores creram nele.
Neste Evangelho, Jesus nos conta a parábola dos dois filhos. O pai pede ao primeiro para ir trabalhar na vinha, ele fala que não quer, mas depois muda de opinião e vai. O pai faz o mesmo pedido ao segundo, este fala que vai, mas não vai.
Jesus explica a comparação: os publicanos e as prostitutas eram pessoas que levavam vida errada, isto é, inicialmente disseram “não” ao Pai que é Deus. Mas depois se arrependeram e acreditaram na pregação de João Batista e de Jesus.
Já os sumos sacerdotes e os anciãos, que respondiam “sim” a Deus no Antigo Testamento, agora respondem “não” ao mesmo Deus, no Novo Testamento. Portanto, eles agem como o segundo filho da parábola, que disse que ia trabalhar na vinha, mas não foi.
Os próprio sumos sacerdotes e anciãos se condenaram, dizendo que quem fez a vontade do pai foi o primeiro filho, que representa os publicanos e as prostitutas. Jesus conclui dizendo que os publicanos e as prostitutas os precederão no Reino de Deus.
Trazendo para nós hoje, há pessoas que no passado diziam “sim” a Deus com generosidade, e hoje são medíocres. E existem também exemplos contrários, de pessoas antes afastadas e hoje engajadas e generosas para Deus e a Comunidade. O que vale é o que a pessoa é hoje, não o que foi no passado. Os pecados do passado, Deus está pronto a nos perdoar, se depois mudamos de idéia e nos convertemos. Outro sentido é que Deus gosta mais das pessoas que cumprem com fidelidade e perseverança a sua Lei, mesmo sem prometer nada, do que daquelas que prometem muito e fazem pouco.
Mais do que palavras bonitas, o que agrada a Deus são as ações corretas. Os fariseus gostavam de se apresentar como santos, isto é, diziam “sim” na aparência, mas “não” nas ações. Deus gosta de palavras bonitas, mas quando são acompanhadas de uma vida bonita.
Há pessoas que têm facilidade em prometer, mas depois se esquecem e não cumprem. Como aquele que disse: “Eu consigo parar de fumar; só este ano já parei três vezes!”
Existe até uma afirmação de que emprestar é sinônimo de dar, porque quem pede emprestado promete devolver mas não devolve. Deus não gosta desse tipo de gente. São atitudes indignas de cristão. Se as pessoas cumprissem o que prometem, não precisaríamos do SPC, CERASA etc. No dia do nosso batismo, os nossos pais e padrinhos disseram “sim” a Deus em nosso lugar. E nós assumimos aqueles compromissos na primeira comunhão, e o renovamos na crisma, e todos os domingos na Missa, quando fazemos a profissão de fé. Como estamos hoje em relação aos nossos compromissos batismais?
S. Paulo disse “não” a Cristo, quando jovem. Mas depois disse “sim” e o manteve até a morte. Assemelhou-se, portanto, ao primeiro filho da parábola.
E ele compara a vida cristã com uma competição de corrida a pé. “Acaso não sabeis que todos correm, mas um só ganha o prêmio? Correi de tal maneira que conquisteis o prêmio. Todo atleta se impõe todo tipo de disciplina. Eles assim procedem, para conseguir uma coroa corruptível. Quanto a nós, buscamos uma coroa incorruptível” (1Cor 9,24-25).
Quando Deus Pai chamou seu Filho Jesus para a missão de redimir a humanidade, ele respondeu: “Eis me aqui, ó Pai, para fazer vossa vontade!” (Hb 10,7). E depois perseverou naquele “sim”. “Cristo humilhou-se, fazendo-se obediente até a morte, e morte de cruz!” (Fl 2,8). Jesus, portanto, não se assemelhou nem ao primeiro nem ao segundo filho, pois respondeu “sim” a Deus Pai, e cumpriu esse “sim” até o fim da vida terrena, e continua cumprindo hoje.
Cada dia que amanhece é um novo presente que Deus nos dá. Quando abrimos os olhos e vemos a luz de um novo dia, cabe a nós agradecer a Deus o dom da vida e vivê-la bem hoje, porque amanhã não sabemos se estaremos vivos.
Certa vez, um casal estava viajando numa cidade grande, em direção a um bairro desconhecido. Eles iam à casa de um amigo, que os convidara para jantar.
O marido ao volante e a esposa ao lado, indicando o caminho. Em determinado momento, ela disse: “Na primeira esquina vire à direita”. Ele teimou que era à esquerda. Os dois discutiram um pouco, mas por fim ela cedeu, a fim de que não chegassem à casa do amigo mal humorados. Resultado: depois de muito andar, tiveram de voltar àquela esquina e entrar à direita. Assim, chegaram atrasados no jantar.
Na volta, conversando sobre o incidente, ela disse: “Se você tinha certeza de que eu estava errado, por que não insistiu um pouco mais? Ela respondeu: “Entre ter razão e ser feliz, eu preferi ser feliz. Estávamos à beira de uma briga. Se eu insistisse mais, teríamos estragado a noite”
Dizer “sim” na hora do casamento é fácil. Mas o importante é mantê-lo até o fim da vida.
O Natal se aproxima. Não queremos celebrá-lo mal humorados ou carregando algum pecado. É para isso que existe o advento.
Maria Santíssima ganhou de longe desses dois filhos da parábola, porque ela, a exemplo do Filho, disse “sim” para Deus no começo da vida e o manteve até o fim. Maria do “sim”, rogai por nós!
João veio, e os pecadores creram nele.





VÍDEO DA SEMANA


 Deixar o passado passar- Pe. Fábio de Melo


https://www.youtube.com/watch?v=yXeFVjWnmrc





MOMENTO DE REFLEXÃO


Conta um jovem universitário que no seu primeiro dia de aula o professor se apresentou e pediu que todos procurassem conhecer alguém que ainda não conheciam.

Ele ficou de pé e olhou ao redor, quando uma mão lhe tocou suavemente o ombro. Deu meia volta e viu uma velhinha enrugada, cujo sorriso lhe iluminava todo seu ser.

Ela lhe falou sorrindo: Oi, gato. Meu nome é Rose. Tenho oitenta e sete anos. Posso lhe dar um abraço?

O moço riu e respondeu com entusiasmo: claro que pode!

Ela lhe deu um abraço muito forte.

Por que a senhora está na Universidade numa idade tão jovem, tão inocente? Perguntou-lhe o rapaz.

Rindo, ela respondeu: estou aqui para encontrar um marido rico, casar-me, ter uns dois filhos e, logo me aposentar e viajar.

Eu falo sério, disse seu jovem colega. Quero saber o que a motiva a enfrentar esse desafio na sua idade.

Rose respondeu gentil: sempre sonhei em ter uma educação universitária e agora vou ter.

Depois da aula ambos caminharam juntos por longo tempo e se tornaram bons amigos.

Todos os dias durante os três meses seguintes saíam juntos da classe e conversavam sem parar.

O jovem universitário estava fascinado em escutar aquela "máquina do tempo". Ela compartilhava com ele sua sabedoria e experiência.

Durante o curso, Rose se fez muito popular na universidade. Fazia amizades onde quer que fosse.

Gostava de se vestir bem e se alegrava com a atenção que recebia dos outros estudantes.

Ao término do último semestre, Rose foi convidada para falar na festa de confraternização. Naquele dia ela deu a todos uma lição inesquecível.

Logo que a apresentaram ela subiu ao palco e começou a pronunciar o discurso que havia preparado de antemão. Leu as primeiras frases e derrubou os cartões onde estavam seus apontamentos.

Frustrada e um pouco envergonhada se inclinou sobre o microfone e disse simplesmente: desculpem que esteja tão nervosa. Não vou poder voltar a colocar meu discurso em ordem. Assim, permitam-me, simplesmente, dizer-lhes o que sei.

Enquanto todos riam, ela limpou a garganta e começou:

Não deixamos de brincar porque estamos velhos; ficamos velhos porque deixamos de brincar.

Há alguns segredos para manter-se jovem, ser feliz e triunfar.

Temos que rir e encontrar o bom humor todos os dias.

Temos que ter um ideal. Quando perdemos de vista nosso ideal, começamos a morrer.

Há tantas pessoas caminhando por aí que estão mortas e nem sequer sabem!

Há uma grande diferença entre estar velho e amadurecer. Se vocês têm dezenove anos e ficam um ano inteiro sem fazer nada produtivo se converterão em pessoas de vinte anos.

Se eu tenho oitenta e sete anos e fico por um ano sem fazer nada de útil, completarei oitenta e oito anos.

Todos podemos envelhecer. Não requer talento nem habilidade para isso. O importante é amadurecer encontrando sempre a oportunidade na mudança.

Não me arrependo de nada. Nós, de mais idade, geralmente não nos arrependemos do que fizemos mas do que não fizemos.

E, por fim, os únicos que temem a morte são os que têm remorso.

Terminou seu discurso cantando "A rosa". Pediu a todos que estudassem a letra da canção e a colocassem em prática em suas vidas.

Rose terminou seus estudos e, uma semana depois da formatura, morreu tranqüilamente enquanto dormia.

Mais de dois mil estudantes universitários assistiram as honras fúnebres para render tributo à maravilhosa mulher que lhes ensinou, com seu exemplo, que nunca é demasiado tarde para chegar a ser tudo o que se pode e deve ser.

...............

O importante não é acumular muitos anos de vida, mas adquirir sabedoria em todos os momentos que os anos nos oferecem.


Afinal, envelhecer é obrigatório, amadurecer é opcional.