Páginas


(clique abaixo para ouvir a música)

LITURGIA DIÁRIA

LITURGIA DIÁRIA - REFLEXÕES E COMENTÁRIOS

Diário de Terça-feira 23/09/2014


Terça-feira, 23 de setembro de 2014

“A melhor doçura e a das pessoas. Não engorda e ainda te faz feliz.”



EVANGELHO DE HOJE
Lc 8, 19-21


— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo, + segundo Lucas.
— Glória a vós, Senhor!


Naquele tempo, 19a mãe e os irmãos de Jesus aproximaram-se, mas não podiam chegar perto dele, por causa da multidão. 20Então anunciaram a Jesus: “Tua mãe e teus irmãos estão aí fora e querem te ver”. 21Jesus respondeu: “Minha mãe e meus irmãos são aqueles que ouvem a Palavra de Deus, e a põem em prática”.


Palavra da Salvação
Glória a vós Senhor.





MEDITAÇÃO DO EVANGELHO
Padre Antonio Queiroz


Minha mãe e meus irmãos são aqueles ouvem a Palavra de Deus, e a põem em prática.
Este Evangelho narra que a mãe de Jesus, junto com alguns parentes, que na língua hebraica são chamados de irmãos, aproximaram-se de Jesus, mas não podiam chegar perto dele, por causa da multidão. Contaram a Jesus, e ele aproveitou para nos falar da sua outra família, a Igreja: “Minha mãe e meus irmãos são aqueles que ouvem a Palavra de Deus, e a põem em prática”. Todos nós temos a alegria de pertencer a esta segunda família de Jesus, a não ser que algum de nós esteja desligado da Igreja, pois não basta ouvir a Palavra de Deus, e sim praticá-la.
A Bíblia tem uma força enorme de transformação da pessoa que a lê ou escuta, porque o Espírito Santo vem com a sua Luz e a sua Força para ajudar. Além de nos converter, a Palavra de Deus nos congrega em Comunidade, atrai-nos para a Igreja, Una, Santa, Católica e Apostólica. Assim, além de irmãos de Jesus, nos tornamos também irmãos entre nós, formando uma grande família, que é chama a Família de Deus.
Em outra ocasião, Jesus falou que a ação da Palavra de Deus em nós é parecida com a ação do fermento, que é colocado na massa de pão. Ela produz uma transformação lenta e silenciosa, mas forte e irresistível. Quem ouve a Palavra de Deus e a acolhe com um coração aberto, devagarinho vai vencendo o pecado, corrigindo os vícios e crescendo na fé, na esperança e na caridade, tornando-se, como diz S. Paulo, uma nova criatura.
A afirmação de Jesus de que sua mãe e seus irmãos são os que ouvem a Palavra de Deus e a praticam inclui em primeiro lugar sua própria Mãe. Ela foi a pessoa que melhor praticou a Palavra, inclusive dando-nos essa Palavra viva de Deus Pai, que é Jesus.
É difícil saber qual foi a maior grandeza de Maria: ser Mãe de Jesus na carne ou ser sua discípula na fé, acolhendo de modo incondicional a Palavra divina. Por isso ela é o nosso melhor modelo, como cristãos. Por sua constante meditação da Palavra e das ações de Jesus (Cf Lc 2,19.51), Maria é a discípula mais perfeita do Senhor”.
Certa vez, dois rapazes amigos estavam andando na rua, numa cidade pequena e desconhecida deles. Era domingo pelo meio dia. De repente, viram uma festa em um quintal aberto. Muito churrasco, schopp à vontade, com músicas lindas.
Com em festas de casamento há amigos do noivo que a família da noiva não conhece, e vice-versa, eles resolveram entrar de penetras. Mas não foram só eles os penetras. Apareceram muitos.
Quando eles estavam comendo e bebendo à vontade, o dono da casa parou a música, subiu numa cadeira e disse: “Por favor, os convidados da noiva fiquem deste lado aqui”. Uma turma foi para a direção indicava. E ele continuou: “Agora os convidados do noivo fiquem deste outro lado aqui”. Outra turma foi para lá. Então o dono da casa disse: “Vocês todos podem cair fora, porque esta festa é de quinze anos da minha filha”.
Que vexame, não? Na Igreja, há lugar para todos e todos somos convidados a ela. Mas, se não praticarmos a Palavra de Deus, podem acontecer vexames como este!
Minha mãe e meus irmãos são aqueles ouvem a Palavra de Deus, e a põem em prática.





VIDA SAUDÁVEL


10 DICAS PARA MELHORAR O RELACIONAMENTO


A gente trabalha, treina, cuida da casa, educa os filhos… E, muitas vezes, deixa o marido ou namorado em segundo plano. Resultado? Desgaste na vida a dois. Veja aqui o que fazer para evitar esse tipo de problema.


É verdade que nenhum relacionamento é um conto de fadas, mas é possível, sim, administrar bem todas as facetas da sua vida (trabalho, treino, estudos) e conviver com o seu parceiro numa boa. A terapeuta e coach Erica Aidar lista recomendações importantes que vão ajudar você a melhorar o relacionamento amoroso.

1. Converse sobre situações que incomodam você. Evite esconder a opinião sobre alguma atitude que ele tenha tomado e que incomodou você. A longo prazo, isso pode se tornar o estopim para uma grande discussão. O segredo é abordar o assunto de forma delicada e passiva.

2. Não guarde ressentimentos. Se o seu companheiro falou algo ofensivo, procure conversar com ele para que juntos encontrem uma alternativa e conversem sem confrontos acusatórios. Evite acumular mágoas!

3. Controle o ciúme. Quando ponderado, ele não atrapalha a relação; se exagerado, pode provocar intensas brigas entre o casal, deixar ambos infelizes e culminar com a separação.

4. Não idealize o parceiro. Não crie expectativas pensando que ele colocará você em primeiro lugar em tudo. Assim como na sua vida, na dele existem outras tarefas e pessoas, como o trabalho, os amigos, a família… E mais: ele também enfrenta problemas diariamente. Portanto, não espere que seja sempre carinhoso, atencioso e amoroso.

5. Divida as tarefas. Com o passar do tempo, algumas tarefas domésticas podem ser deixadas na responsabilidade de um ou de outro. Contudo, isso pode sobrecarregar o parceiro e deixá-lo estressado. O trabalho em conjunto valoriza a presença de cada um no relacionamento.

6. Crie momentos para vocês. Com a chegada dos filhos, alguns casais deixam de dar atenção um ao outro para se dedicar à criança. Porém, é importante criar momentos prazerosos entre vocês e marcar atividades que possam fazer juntos, como um jantar ou um cinema.

7. Valorize o diálogo. É importante que o casal mantenha uma boa conversa sobre os problemas que estão enfrentando. Esse diálogo mantém a boa convivência. Evite discutir ou brigar. Exponha o que sente e tente buscar estratégias, junto com seu parceiro, para não desgastar a relação.

8. Troque carinhos. Isso não se resume ao sexo. Tire um tempo no seu dia para dar atenção ao seu relacionamento. O contato físico é importante para não perder laços. Por isso, ande de mãos dadas, abrace e beije o marido ou namorado quando chegar ou sair, troque carinhos. Assim, vocês vão se sentir aconchegados um pelo outro.

9. Evite a teimosia. Seja flexível, pois nem sempre você está certa. Algumas discussões acontecem por causa da teimosia. Procure analisar a opinião dele e crie o hábito de pedir desculpas quando estiver errada.

10. Saia da rotina. Convide seu companheiro para sair, invista em lingeries novas, apareça com presentes ou mande flores. Isso faz com que vocês não percam a essência do relacionamento.




MOMENTO DE REFLEXÃO

Durante a nossa vida causamos transtornos na vida de muitas pessoas, porque somos imperfeitos.
Nas esquinas da vida, pronunciamos palavras inadequadas, falamos sem necessidade, incomodamos.
Nas relações mais próximas, agredimos sem intenção ou intencionalmente.
Mas agredimos.
Não respeitamos o tempo do outro, a história do outro.
Parece que o mundo gira em torno dos nossos desejos
e o outro é apenas um detalhe.
E, assim, vamos causando transtornos.
Esses tantos transtornos mostram que não estamos prontos, mas em construção.
Tijolo a tijolo, o templo da nossa história vai ganhando forma.
O outro também está em construção e também causa transtornos.
E, às vezes, um tijolo cai e nos machuca.
Outras vezes, é o cal ou o cimento que suja nosso rosto.
E quando não é um, é outro.
E o tempo todo nós temos que nos limpar e cuidar das feridas, assim como os outros que convivem conosco também têm de fazer.
Os erros dos outros, os meus erros.
Os meus erros, os erros dos outros.
Esta é uma conclusão essencial: todas as pessoas erram.
A partir dessa conclusão, chegamos a uma necessidade humana e cristã: o perdão.
Perdoar é cuidar das feridas e sujeiras.
É compreender que os transtornos são muitas vezes involuntários.
Que os erros dos outros são semelhantes aos meus erros e que, como caminhantes de uma jornada, é preciso olhar adiante.
Se nos preocupamos com o que passou, com a poeira, com o tijolo caído, o horizonte deixará de ser contemplado.
E será um desperdício.
O convite que faço é que você experimente a beleza do perdão.
É um banho na alma!
Deixa leve!
Se eu errei, se eu o magoei, se eu o julguei mal, desculpe-me por todos esses transtornos…
Estou em construção!

Gabriel Chalita


Diário de Segunda-feira 22/09/2014



Segunda-feira, 22 de setembro de 2014

“A vida na Terra é somente uma passagem... No entanto, alguns vivem como se fossem ficar aqui eternamente, e se esquecem de ser felizes.”


EVANGELHO DE HOJE
Lc 8, 16-18

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo, + segundo Lucas.
— Glória a vós, Senhor!


Naquele tempo, disse Jesus à multidão: 16“ninguém acende uma lâmpada para cobri-la com uma vasilha ou colocá-la debaixo da cama; ao contrário, coloca-a no candeeiro, a fim de que todos os que entram vejam a luz. 17Com efeito, tudo o que está escondido deverá tornar-se manifesto; e tudo o que está em segredo deverá torna-se conhecido e claramente manifesto.

18Portanto, prestai atenção à maneira como vós ouvis! Pois a quem tem alguma coisa, será dado ainda mais; e àquele que não tem, será tirado até mesmo o que ele pensa ter”.


Palavra da Salvação
Glória a vós Senhor.





MEDITAÇÃO DO EVANGELHO
Alexandre Soledade


Bom dia!
Tenho refletido muito esse evangelho e por vezes me questiono quanto a minha conduta. Explico…
Como outros tantos cristãos, nos assoberbamos de trabalhos dentro da igreja e é nesse ponto que me interrogo: Será que estar atuante em tantas áreas é o correto, pois ao ocupar um espaço talvez não permita que outros surjam? Mas como não questionar a situação que a messe continua a crescer, mas os operários não?
É um fato que grande parte das pastorais se “especializou” em “pescar o peixe que esta dentro do aquário”, ou seja, aquele que já esta aqui dentro; outro fato é que falar de Deus para quem já o conhece, creio que não seja uma tarefa tão árdua como é ser luzeiro no mundo. Falar de Deus talvez não seja tão complexo como viver sua palavra todos os dias, cansado, voltando do longo dia de trabalho, sem descanso…
Mas se paro, como fica aquele que aprendeu a me procurar?
O capitão do barco quando avista o farol sabe que duas coisas existem ali: Um caminho seguro e um perigo eminente (rochas, corais, pouca profundidade) ou o farol foi por acaso construído apenas para iluminar o mar? Surge então a grande dúvida: Será que um farol pode estar em todo lugar ao mesmo tempo?
A indagação surge do fato que por maior que seja meu, o seu, o nosso empenho, possivelmente será pequeno mediante a crescente messe. Nosso esforço parece sempre andar em progressão aritmética (PA) e a messe em geométrica (PG).
Quantos servos, filhos de Deus, pais, mães, (…) se sentem assim? Mas o estranho é que é nessa hora que Deus se supera em nós! “(…) PORQUE QUEM TEM RECEBERÁ MAIS; mas quem não tem, até o que pensa que tem será tirado dele”.
Deus na verdade não precisaria de nós, mas espera com muita ansiedade um gesto concreto de fé resiliente.
Resiliência deriva de uma propriedade química ou física em que uma substância tem, após estresse ou de uma adversidade, de conseguir se adaptar ou retornar ao estado original. Por analogia (comparação) imaginemos um fino galho de goiabeira que mesmo sobre forte peso, nega-se a quebrar. Fé resiliente é aquela que se nega a desistir e que após longo estresse é recompensada com os frutos.
Não! Não vale a pena desistir do projeto de Deus por falta de operários, pois se fomos edificados faróis para alguma coisa precisamos servir. O gesto de um único farol pode mudar a vida de um navio perdido no mar, claro que não salvaremos a todos. Ambicionamos a coisas muito grandes; reclamamos muito das coisas pequenas que somadas começam a nos pesar, mas preciso voltar a ver a gama de dons que Deus dá aos que estão assoberbados em Seu nome
“(…) Aquele que é fiel nas coisas pequenas será também fiel nas coisas grandes. E quem é injusto nas coisas pequenas, sê-lo-á também nas grandes Se, pois, não tiverdes sido fiéis nas riquezas injustas, quem vos confiará as verdadeiras”? (Lucas 16, 10-11)
Vamos continuar!
Um imenso abraço fraterno




MOTIVAÇÃO NO TRABALHO


A única maneira de se ir até uma porta é indo


Essa é uma verdade que muitas vezes demoramos a compreender. Não há outra maneira de se ir até uma porta, a não ser indo. Se ficarmos imaginando; esperando; pensando se a porta estará aberta ou fechada (ou se alguém impedirá o nosso caminho) e simplesmente não irmos até a porta, com certeza ela não virá até nós.
Digo isto porque vejo pessoas que planejam, planejam, planejam, imaginam, imaginam, imaginam, mas não agem!
Se eu ficar apenas imaginando e planejando ir até a porta e não caminhar em direção a ela, pode ocorrer de eu olhar para a porta e ver que alguém chegou lá primeiro. Aí, irritado, eu direi: Ei fominha! Eu é que ia até a porta! Eu tive a ideia primeiro! Eu estava quase indo... E é tudo verdade: você teve a ideia primeiro; você estava quase indo. A diferença é que ele foi!
É claro que não sou contra planejamentos, análises, pesquisas e estudos. Sou contra a paralisia pela análise, pela pesquisa, pelo estudo, principalmente no mundo empresarial. Há pessoas e empresas que ficam apenas nos planos, nas pesquisas e não agem. Conheço pessoas e empresas que vivem esperando as condições ideais para então agir. E estão sempre colocando essas condições ideais muito distantes da realidade concreta da vida, do mundo e do mercado. Assim vivem paralisadas. Lebret dizia que mais vale se sujar um pouco andando que morrer sentado e conheço empresas e pessoas que com medo de agir estão morrendo sentadas enquanto o mundo caminha e se desenvolve cheio de oportunidades.
Pense nas muitas ideias boas que você já teve e que foram postas em prática por outras pessoas que ousaram fazer.
Lembre-se: a única maneira de ir até uma porta é indo!
Pense nisso. Sucesso!




MOMENTO DE REFLEXÃO


Você que é um homem de negócios, e se diz bem sucedido, está feliz com a vida que leva?
Se você sabe dividir o seu tempo entre o trabalho e a família, entre as coisas da terra e os valores espirituais, então você é alguém muito bem sucedido.
Todavia, se é daqueles que não param de trabalhar, chegará um dia em que se perguntará: valeu a pena?
Vai perceber que o tempo passou e o cansaço tomou conta do seu corpo.
Vai perceber que, mesmo rodeado de muita gente, você se sente só.
Vai ver que foi entrando numa roda viva, que não é mais dono do tempo que pensa que é seu, e que não pode gastá-lo com qualquer um.
Vai ver que o carro que tanto curte, já está se tornando um problema, e não um conforto; que o telefone perturba, que a gravata incomoda.
Perceberá que seu patrimônio lhe exigiu tempo demais, e que acabou sendo possuído, ao invés de possuir. E, por mais que tente se livrar de tudo isso, é um escravo.
Vai ver que não valeu a pena passar vários anos sem férias, sem descanso, sem tempo para curtir a família.
Um dia você vai ver que passou pela vida e não viveu.
Freqüentou o mundo sem saber por quê. Rodou, rodou e não saiu do lugar.
Teve tudo e não sentiu nada, não usufruiu nada.
Um dia você verá que o tempo escoa tão rápido, como areia fina, por entre seus dedos.
E quando chegar esse momento, você vai sentir vontade de voltar no tempo e gastar suas horas de forma diferente.
Vai querer sorrir, amar, estar com a família, misturar-se com as crianças, e estender a mão ao próximo, sem reclamar.
Vai desejar o abraço da esposa, sempre relegada ao segundo plano.
Vai querer sentir a mão de seu filho, acariciando-lhe os cabelos.
Vai preferir uma pizza com a criançada, em vez de um jantar de negócios.
Vai desejar ser dono das horas, tirar férias, curtir tudo o que gosta.
Mas se você deixar tudo isso para pensar no futuro... Que nunca chega, talvez você não tenha mais tempo.
Não deixe para depois o que você pode fazer agora.



Diário de Domingo 21/09/2014



Domingo, 21 de setembro de 2014

“O ser humano só envelhece quando os lamentos substituem os sonhos!”


EVANGELHO DE HOJE
Mt 20,1-16ª

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo, + segundo Mateus.
— Glória a vós, Senhor!


Jesus disse:
- O Reino do Céu é como o dono de uma plantação de uvas que saiu de manhã bem cedo para contratar trabalhadores para a sua plantação. Ele combinou com else o salário de costume, isto é, uma moeda de prata por dia, e mandou que fossem trabalhar na sua plantação. Às nove horas, saiu outra vez, foi até a praça do mercado e viu Ali alguns homens que não estavam fazendo nada. Então disse: "Vão vocês também trabalhar na minha plantação de uvas, e eu pagarei o que for justo."
- E else foram. Ao meio-dia e às três horas da tarde o dono da plantação fez a mesma coisa com outros trabalhadores. Eram quase cinco horas da tarde quando ele voltou à praça. Viu outros homens que ainda estavam Ali e perguntou: "Por que vocês estão o dia todo aqui sem fazer nada?"
- "É porque ninguém nos contratou!" - responderam else.
- Então ele disse: "Vão vocês também trabalhar na minha plantação."
- No fim do dia, ele disse ao administrador: "Chame OS trabalhadores e faça o pagamento, começando com OS que foram contratados por último e terminando pelos primeiros."
- Os homens que começaram a trabalhar às cinco horas DA tarde receberam uma moeda de prata cada um. Então OS primeiros que tinham sido contratados pensaram que iam receber mais; porém else também receberam uma moeda de prata cada um. Pegaram o dinheiro e começaram a resmungar contra o patrão, dizendo: "Estes homens que foram contratados por último trabalharam somente uma hora, mas nós agüentamos o dia todo debaixo deste Sol quente. No entanto, o pagamento deles foi igual ao nosso!" - Aí o dono disse a um deles: "Escute, amigo! Eu não fui injusto com você. Você não concordou em trabalhar o dia todo por uma moeda de prata? Pegue o seu pagamento e vá embora. Pois eu quero Dar a este homem, que foi contratado por último, o mesmo que dei a você. Por acaso não tenho o direito de fazer o que quero com o meu próprio dinheiro? Ou você está com inveja somente porque fui bom para ele?"
E Jesus terminou, dizendo:
- Assim, aqueles que são os primeiros serão os últimos(...).


Palavra da Salvação
Glória a vós Senhor.





MEDITAÇÃO DO EVANGELHO
Padre Antonio Queiroz


Ou estás com inveja, porque estou sendo bom?
Neste Evangelho, Jesus nos conta a parábola dos trabalhadores esperando na praça. O patrão é Deus; Os trabalhadores somos nós; a vinha é o Reino de Deus. A parábola se refere, ao mesmo tempo, aos dois aspectos: Aos direitos trabalhistas e à nossa atuação, como cristãos, no Reino de Deus. No procedimento do patrão está o procedimento de Deus para conosco, e também o nosso procedimento correto uns com os outros.
O patrão “saiu de madrugada para contratar trabalhadores”. Deus não perde tempo, e nós também não podemos perder. Deus não quer o desemprego. Quer que todos trabalhem. Ele não quer ver ninguém parado na praça.
“Combinou com OS trabalhadores uma moeda de prata por dia.” Era o salário justo na época. Os trabalhadores têm direito à remuneração justa.
“Saiu outra vez pelas cinco horas DA tarde, encontrou outros que estavam na praça e lhes disse: Por que estais aí o dia inteiro desocupados? Else responderam: Porque ninguém nos contratou”. O desemprego deles era culpa, não deles, mas DA sociedade que não lhes dava oportunidades de trabalho. Mas, tanto else como seus familiares, precisavam comer, do mesmo modo que aqueles que foram contratados de manhã. Ao pagar o salário, o patrão deve considerar também essa parte: aquilo que o trabalhador e sua família precisam para viver.
“Quando chegou a tarde, o patrão disse ao administrador: Chama os trabalhadores e paga-lhes uma diária a todos, começando pelos últimos até os primeiros”. Esta decisão é o coração da parábola. Aí está a diferença entre a justiça do Reino de Deus e a “justiça” do reino do Dragão (Cf Ap 12). Na justiça do Dragão, cada um recebe pelo que produziu, sem levar em conta as necessidades do trabalhador, nem os motivos pelos quais as pessoas estavam desempregadas. No Reino de Deus é o contrário: Todos têm direito à vida, tanto os empregados como os desempregados. E, se os desempregados têm esse direito, ajudá-Los não é um favor, uma esmola, mas uma obrigação nossa.
Quanto àqueles que o patrão encontrou na praça às cinco horas DA tarde, OS motivos do atraso não foram apresentados. Mas, sejam quais forem, estes também têm, assim como suas famílias, as necessidades de todo ser humano: alimentação, vestuário, saúde etc. E mais: o mundo pecador, que leva em conta só a produtividade, marginaliza-OS. Por isso no Reino de Deus else são colocados em primeiro lugar.
Nesta parábola está a chave para entendermos o plano de Deus a respeito do trabalho e toda a questão trabalhista. O mais importante não é o que a pessoa produz, mas a própria pessoa que trabalha.
Lei fundamental na questão do salário é a igualdade, pois todos temos o estômago do mesmo tamanho. Se a diferença entre o salário dos trabalhadores é muito Grande, está havendo injustiça, pois perante Deus nós somos todos iguais.
“Em seguida, vieram OS que foram contratador primeiro, e pensavam que iam receber mais.” É o protesto dos egoístas, daqueles que só pensam em is, esquecendo-se dos demais. Veja que o que else acham errado não é o salário deles, que sabiam que inclusive foi combinado antes com o patrão, mas a igualdade de tratamento usada pelo patrão. Por isso que o patrão OS chama de invejosos. Cada vez que alguém quer aumentar o próprio salário sem levar em conta aqueles que ganham menos, está sendo como essa turma, isto é, está contra o plano de Deus!
E Jesus termina a parábola apresentando a lei geral do Reino de Deus: “Os últimos serão OS primeiros, e OS primeiros serão OS últimos”. Em outras palavras, no Reino de Deus OS últimos DA sociedade são colocados em primeiro lugar, e OS primeiros DA sociedade são colocados em último lugar. Só quem age desse modo entra no céu.
“Se a vossa justiça não for maior que a dos escribas e dos fariseus, não entrareis no Reino dos Céus” (Mt 5,20). A justiça do mundo nem sempre coloca a pessoa humana em primeiro lugar.
“Construirão casas e nelas habitarão. Plantarão vinhas e comerão seus frutos. Ninguém construirá para outro morar, nem plantará para outro comer. E a vida do meu povo será longa como a das árvores. Meus escolhidos poderão gastar o que suas mãos fabricarem” (Is 52,21-22).
“No princípio, Deus criou o céu e a terra. A terra estava sem forma e vazia; as trevas cobriam o abismo... Deus disse: Que exista a luz!... Então Deus disse: Façamos o homem à nossa imagem e semelhança. Que ele domine OS peixes do mar, as aves do céu... E Deus viu que tudo o que havia criado era muito bom. Foi o sexto dia. No sétimo dia Deus terminou o seu trabalho e descansou. Então Deus abençoou e santificou o sétimo dia, porque nele, descansou do seu trabalho” (Gn 1,1-2,3). Pelo trabalho, continuamos a obra de Deus na criação do mundo. Deus trabalha e nos manda trabalhar também, mas sempre dentro do seu plano amoroso.
Certa vez, um empregado chegou para o seu patrão e disse: “É melhor o senhor me dar um aumento de salário”. O patrão perguntou: “Por quê?” O empregado respondeu: “É porque há várias empresas atrás de mim”. O patrão, com um ar muito desconfiado, perguntou: “Quais são essas empresas?” O empregado respondeu: “As empresas são as de água, de luz, de telefone, de cobranças...”
Esse patrão foi convidado a olhar também o lado das necessidades do seu empregado, não apenas a produtividade dele.
Maria Santíssima era uma mulher trabalhadeira. Nas Bodas de Caná, tudo indica que ela, apesar de simples convidada, estava ajudando a servir. Que ela nos ajude a agir corretamente no vasto mundo do trabalho humano.
Ou estás com inveja, porque estou sendo bom?




VÍDEO DA SEMANA

Amigos podem ser a voz de Deus - Pe. Fábio de Melo



https://www.youtube.com/watch?v=fQYwtDsnzdk




MOMENTO DE REFLEXÃO


Pouco a pouco, ainda que contra a nossa vontade, vamos nos acostumando a conviver com os vendavais que ameaçam nossa vida.
 Na medida do possível, vamos nos adaptando à fúria dos ventos contrários, e também, com a força das águas turbulentas.
Tudo não passa de uma necessidade de sobrevivência, afinal de contas, viver é o que realmente importa.
Se cada um de nós se der conta de que nosso passado registra uma história de lutas, algumas das quais profundamente dolorosas, diante das quais achávamos que não iríamos sobreviver, tamanha era a desproporção entre a nossa força e as forças contrárias que se levantavam contra nós.
Eram rios violentos, águas turvas, ventos destruidores, personificados em pessoas que nos enganaram, representados também por governos, poderes, circunstâncias adversas e noites escuras.
E apesar de tudo, aqui estamos nós.
Passaram os ventos, o mar se acalmou, as águas turvas foram acariciadas pela brisa da paz e nós sobrevivemos.
Afinal de contas, depois da tempestade vem sempre uma brisa que nos faz sonhar e continuar vivendo.
Provavelmente, muitos leitores desta singela reflexão dominical, estejam vivendo um tempo de tempestades ou mesmo, de um verdadeiro furacão.
Tudo parece estar dando errado.
Quando oramos, os céus ficam em silêncio.
Buscamos socorro nos amigos e eles estão muito ocupados ou até sofrendo mais que nós mesmos.
O sorriso foi substituído pela lágrima e a alegria sufocada pela a dor.
A fé fica abalada e o desespero começa a dar sinais de proximidade.
Mais que nunca é preciso serenidade, paciência e humildade, pois, com certeza, depois da tempestade sempre se descortinam diante de nós horizontes novos, adornados pela esperança.
Não entre em pânico, não se desespere, não entregue os pontos, não proclame derrota e não antecipe o fim.
Para quem tem fé,“jamais” é um tempo que não existe, pois ao que crê, tudo lhe é possível, é o que nos garante o
Mestre Jesus.
Em tempos de crises agudas, não devemos tomar decisões precipitadas, pois desde que o mundo é mundo, a vida nos tem ensinado uma grande lição:
Tudo é passageiro, inclusive a nossa dor.
Em meio a tempestades, o que mais importa é não perder o controle do barco, segurar firme os remos, levantar bem a cabeça e descobrir, em meio às águas revoltas, o norte que nos levará a um porto seguro.
Existe sempre um porto escondido em algum lugar do oceano.
Quando a sua vida estiver ameaçada pelas tempestades, segure firme nas mãos de Deus pois, dEle vem não somente a força que nos ampara, como também, é Ele quem faz cair sobre nós uma brisa suave, com o perfume da vida, a beleza da paz e o encanto da esperança.
Por isso mesmo, tudo se acalma, quando vem a brisa.
É só uma questão de tempo; uma experiência de fé.
Nesta vida turbulenta, só existe bonança aonde Deus estiver presente.
Quando vem a brisa, chegam também com ela a serenidade e a certeza da vitória, pois quando a brisa vem trás também consigo a doce presença de Deus.



Pr. Estevam Fernandes de Oliveira

Diário de Sábado 20/09/2014



Sábado, 20 de setembro de 2014

“A felicidade é um trajeto e não um destino.”




EVANGELHO DE HOJE
Lc 8, 4-15

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo, + segundo Lucas.
— Glória a vós, Senhor!


Uma grande multidão, vinda de várias cidades, veio ver Jesus. Quando todos estavam reunidos, ele contou esta parábola:
- Certo homem saiu para semear. E, quando estava espalhando as sementes, algumas caíram na beira do caminho, onde foram pisadas pelas pessoas e comidas pelos passarinhos. Outras sementes caíram num lugar onde havia muitas pedras, e, quando começaram a brotar, as plantas secaram porque não havia umidade. Outra parte caiu no meio de espinhos, que cresceram junto com as plantas e as sufocaram. Mas algumas sementes caíram em terra boa. As plantas cresceram e produziram cem grãos para cada semente.
E Jesus terminou, dizendo:
- Quem quiser ouvir, que ouça!
Os discípulos de Jesus perguntaram o que ele queria dizer com essa parábola. Jesus respondeu:
- A vocês Deus mostra os segredos do seu Reino. Mas aos outros tudo é ensinado por meio de parábolas, para que olhem e não enxerguem nada e para que escutem e não entendam.
- O que essa parábola quer dizer é o seguinte: a semente é a mensagem de Deus. As sementes que caíram na beira do caminho são as pessoas que ouvem a mensagem. Porém o Diabo chega e tira a mensagem do coração delas para que não creiam e não sejam salvas. As sementes que caíram onde havia muitas pedras são as pessoas que ouvem a mensagem e a recebem com muita alegria. Elas não têm raízes e por isso crêem somente por algum tempo; e, quando chega a tentação, abandonam tudo. As sementes que caíram no meio dos espinhos são as pessoas que ouvem a mensagem. Porém as preocupações, as riquezas e os prazeres desta vida aumentam e sufocam essas pessoas. Por isso os frutos que elas produzem nunca amadurecem. E as sementes que caíram em terra boa são aquelas pessoas que ouvem e guardam a mensagem no seu coração bom e obediente; e, porque são fiéis, produzem frutos.


Palavra da Salvação
Glória a vós Senhor.





MEDITAÇÃO DO EVANGELHO
Fr. Lucas Emanuel Almeida. CSsR


“Quem tem ouvidos para ouvir, ouça”!
Olá gente querida!
No evangelho de hoje, Jesus nos conta a parábola do semeador e chama-nos a atenção para o modo com o qual nós recebemos a Palavra de Deus em nossa vida como uma prática cotidiana.
A parábola contada no evangelho é simples e direta. Com ela, Jesus que abrir o nosso coração para a acolhida da Palavra que nos dá o conhecimento dos mistérios do Reino de Deus. Assim, o SEMEADOR é Deus; as SEMENTES são a sua Palavra e o TERRENO é o coração humano!
O nosso coração é comparado à terra na qual caem as sementes. Como vimos, uma parte das sementes caíram à beira do caminho e logo foram pisadas e comida pelos pássaros; outra parte caiu sobre as pedras e apesar de terem brotado secaram por falta de umidade; outra, ainda, caiu no meio dos espinhos e acabaram sufocadas por eles e, por último, uma parte caiu em terra boa onde deu muitos frutos!
Percebam que Jesus termina a parábola dizendo: “QUEM TEM OUVIDOS PARA OUVIR OUÇA” (v. 8). Isso nos mostra que SÓ DEPENDE DE NÓS. Nós é que escolhemos o terreno que queremos ser! É uma questão de consciência: queremos dar frutos ou não? Que tipo de pessoas queremos ser? A ESCOLHA É NOSSA!
Seguindo essa reflexão, podemos pensar e comparar esse terreno à vida de nossas comunidades. COMO SÃO NOSSAS COMUNIDADES? São como o terreno pedregoso e os outros que não geram a vida da semente ou são como a terra boa que acolhe e faz frutificar? Nesse sentido, a Palavra de Jesus nos ajuda a pensar a vida de nossas comunidades e, a partir de nós mesmos, buscar caminhos para as mudanças necessárias. É PRECISO ADUBAR A TERRA (nossos corações/comunidades) PARA PRODUZIR MUITOS FRUTOS! É preciso ter PERSEVERANÇA!

Que, Maria, aquela que soube, tão bem, acolher a Palavra de Deus em seu coração, ajude-nos a ter um coração como o seu: cheio de amor, simples, humilde, e acolhedor!
lc_viola@yahoo.com.br





CASA, LAR E FAMÍLIA


Dicas que vão facilitar sua vida.


1-Limpeza de mesas de vidro e boxes
Dilua 1 parte de amaciante em 4 partes de água. Aplique sobre a superfície, deixe secar e dê polimento.


2-Livre-se do cheiro de tinta fresca
Dilua 1 colher de sopa de essência de baunilha na lata de tinta a ser utilizada.


3-Técnica para se iniciar exercícios físicos
1. Inicie os exercícios sempre de maneira gradual - não dispense a fase de alongamento, aquecimento e resfriamento;
2. Mantenha um diário de exercícios;
3. Aumente as caminhadas e procure sentir prazer em caminhar;
4. Aumente a atividade no seu dia-a-dia, utilizando escadas e dispensando o carro sempre que possível;
5. Aumente a atividade no seu dia-a-dia, optando por fazer você mesmo algumas atividades domésticas como lavar o carro e jardinagem;
6. Leve seu cachorro para passear.



4-Dica para manter sua meia calça sempre usável
Enxágüe com amaciante de roupas. Para recuperar a meia use três colheres de sopa de vinagre.


5-Desencardindo as lajotas
Passe um pano molhado com uma solução em partes iguais de vinagre e refrigerante tipo cola, espere secar e encere. Se quiser dar brilho use limpa vidros.


6-Alivie a dor da língua queimada
Aplique açúcar direto na área afetada.


7-Sapatos velhos voltam a brilhar
Esfregue batata crua e depois engraxe normalmente. Dê brilho, ficarão como novos.


8-Exterminando as baratas da casa
Faça uma mistura de 50% de fermento e 50% de açúcar e coloque em cantos estratégicos. O açúcar atrairá as baratas e o fermento matará.


9-Para saber se você precisa irrigar o solo de sua horta
Coloque latas de leite vazias na chuva. Se tiverem mais de 3 cm de altura de água de chuva você não necessita irrigação adicional.


10-Limpe os seus aquários
Com uma mistura de água e vinagre friccione o seu aquário. Enxague várias vezes para não prejudicar os peixes.






MOMENTO DE REFLEXÃO


Ele tem 80 anos de idade e toma café da manhã todos os dias com sua esposa.
Eu perguntei: por que sua esposa está em casa de repouso?
Ele disse:
- Porque ela tem Alzheimer (perda de memória).
Eu perguntei: a sua esposa se preocupa e sempre te espera para ir tomar café com ela?
E ele respondeu:
- Ela não se lembra... Já não sabe quem eu sou, faz cinco anos, já não me reconhece.
Surpreso, eu disse:
- E ainda toma café da manhã com ela todas as manhãs, mesmo que ela não te reconheça?
O homem sorriu e olhou para os meus olhos e apertou minha mão. Em seguida, disse:

- "Ela não sabe quem eu sou, mas eu sei quem ela é".