Páginas


(clique abaixo para ouvir a música)

LITURGIA DIÁRIA

LITURGIA DIÁRIA - REFLEXÕES E COMENTÁRIOS

Diário de Quinta-feira 23/10/2014


Quinta-feira, 23 de outubro de 2014


“Arrependo-me muitas vezes de ter falado; nunca de ter silenciado.” (Ciro)


EVANGELHO DE HOJE
Lc 12, 49-53


— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo, + segundo Lucas.


Naquele tempo disse Jesus aos seus discípulos: 49“Eu vim para lançar fogo sobre a terra, e como gostaria que já estivesse aceso! 50Devo receber um batismo, e como estou ansioso até que isto se cumpra! 51Vós pensais que eu vim trazer a paz sobre a terra? Pelo contrário, eu vos digo, vim trazer a divisão. 52Pois, daqui em diante, numa família de cinco pessoas, três ficarão divididas contra duas e duas contra três; 53ficarão divididos: o pai contra o filho e o filho contra o pai; a mãe contra a filha e a filha contra a mãe; a sogra contra a nora e a nora contra a sogra”.


Palavra da Salvação
Glória a vós Senhor.





MEDITAÇÃO DO EVANGELHO
Padre Antonio Queiroz


Não vim trazer a paz, mas a divisão.
Neste Evangelho, Jesus usa dois sentidos contrários da palavra paz: a do mundo e a de Cristo. Se a nossa convivência com o mundo pecador é só “de paz”, é de se perguntar que paz é essa?
“Vós pensais que eu vim trazer a paz sobre a terra?” Jesus usa a palavra “paz” no sentido que o mundo pecador dá, que é uma aparente tranqüilidade da ordem, mas em cima da injustiça e baseada na força. Essa paz ele veio destruir. Como disse um padre, no final da Missa: “Ide em paz e que a paz de Cristo nunca vos deixe em paz”. O mundo vive em tensão, fruto do conflito entre os dois senhores que querem dominá-lo: Deus e o capeta. E nós somos embaixadores de Cristo no nosso ambiente. “Vim trazer a divisão: pai contra filho, mãe contra filha, sogra contra nora...” A afirmação é chocante, mas é real, e a vemos todos os dias ao nosso redor. Queremos a união dentro de casa, mas não podemos abrir mão do testemunho, e é este que causa a divisão. A nossa firmeza na fé gera, muitas vezes, perseguição. A prática do Evangelho não nos conduz a um paraíso terrestre.
“Devo receber um batismo, e como estou ansioso até que isto se cumpra!” Jesus se refere à sua paixão e morte, em que foi mergulhado (batizado) na dor, e venceu, nos salvando a todos. Um metal incandescente, quando é mergulhado na água fria, faz barulho e espirra água para todo lado. É o choque causado pelo encontro do Reino de Deus com o reino da Besta Fera (Apocalipse). Jesus será o primeiro a ser batizado, isto é, mergulhado nesse fogo. A parte dele foi bem feita. Resta a nossa.
“Eu vim para lançar fogo sobre a terra, e como gostaria que já estivesse aceso.” Jesus compara a Vida Nova trazida por ele com o fogo. É o fogo que queima o que é “velho” ou errado em nós; é o fogo do Amor, derramado em nossos corações. Esse fogo vai aos poucos incendiando o mundo e fazendo nascer o Reino de Deus. Ele suscita perseguição, divisões e faz até derramar sangue. Mas o incêndio é implacável. Somos portadores do seu fogo. Ao ver a nossa lentidão, Jesus fica inquieto: “como gostaria que (esse fogo) já estivesse aceso!”
Após o fogo, surgem das cinzas plantas vicejantes. É o que acontece quando nos deixamos incendiar pelo fogo de Deus.
Antes de batizar Jesus, João Batista falou para o povo: “Eu vos batizo com água. Mas virá aquele que é mais forte do que eu... Ele vos batizará com o Espírito Santo e com fogo” (Lc 3,16). No dia de Pentecostes, o Espírito Santo veio sobre Maria e os Apóstolos em forma de chamas de fogo (At 2,3). O Espírito Santo nos dá, no batismo, o dom do amor, que é semelhante ao fogo.
O que nos impulsiona a evitar o mal e fazer o bem não é, em primeiro lugar, um mandamento, o medo de castigo, ou busca da glória no Céu. O cristão é estimulado pelo Espírito Santo que age dentro dele ou dela como um fogo.
O amor arde no peito, queima e não deixa a pessoa parada. Impulsiona-a fortemente para a ação e para o testemunho. O Profeta Jeremias dizia: “Tenho de gritar, tenho de arriscar. Ai de mim se não o faço! Como escapar de ti? Como calar, se tua voz arde em meu peito?”
Os inimigos de Deus logo percebem e tentam apagar esse fogo, mas não conseguem. Como diz Jo 1,5: As trevas tentaram apagar a luz, mas não conseguiram.
Na morte de Jesus, os inimigos dele pensaram: “Agora apagamos”. Mas que nada! O fogo estava aceso no coração dos discípulos, e agora era impossível apagá-lo. Apagam aqui, ele brota ali.
Os antigos perseguidores dos cristãos perceberam que, quanto mais os matavam, mais eles cresciam em número. Este fogo que Jesus trouxe é muito especial. Quando tentam apagá-lo, aí que ele cresce.
Por isso que Jesus falou: “Não tenhas medo, pequeno rebanho, pois foi do agrado do vosso Pai dar-vos o Reino” (Lc 12,32).
Agora, uma coisa é certa: Ninguém consegue acender fogo apenas falando de fogo. Imagine se alguém pega um punhado de palhas bem sequinhas, coloca-as no sol quente e ainda joga gasolina. Depois começa a falar, com todos os recursos da oratória, sobre fogo. Não adianta nada. Mas se a pessoa chega com uma pequena chama, tipo palito de fósforo, já é o suficiente para incendiar tudo.
O mesmo acontece com o fogo do amor que Jesus veio trazer. Precisamos tê-lo, ao menos um pouquinho dentro de nós, a fim de que ele possa passar para os outros, multiplicar-se e incendiar o mundo.
Quem participa da Comunidade cristã, já tem esse fogo. Por isso que a ação das Comunidades é implacável.
“O zelo por tua casa me devora” (Sl 69,10). Esse zelo é como fogo dentro de nós.
Jesus, quando estava pregado na cruz, disse: “Tenho sede”. Ofereceram-lhe um líquido mas ele não quis. Não era sede de água, mas de ver esse fogo incendiando e transformando.
Os santos eram inflamados por esse fogo. Queriam, a todo custo, incendiar o mundo. Alguns deram a vida por essa causa. É preciso muita garra para atear fogo. É o fogo que nos tira de casa no domingo e nos leva para a Missa. É o fogo que sustenta os casais unidos. O amor de Cristo é maior que o amor humano.
Jesus não tinha nem onde reclinar a cabeça, mas passou a vida fazendo o bem e era feliz. E antes de subir para o Céu ele disse: “Como o Pai me enviou, eu vos envio. Recebei o Espírito Santo”.
O padre, a freira, todos os batizados são incendiados por esse fogo, e querem passá-lo para os outros.
Certa vez, um grupo de jovens resolveram botar fogo numa cidade. Eles se espalharam, cada um com uma chama e começaram a incendiar. Logo que o fogo se alastrou, vieram os bombeiros. Mas estava difícil porque os bombeiros recebiam telefonema de todos os cantos da cidade. E mais: quando apagavam o fogo em um lugar, logo que saíam o fogo reacendia. Assim, não houve jeito, e a cidade foi incendiada. Esses jovens estão convidando você para fazer parte do grupo deles.
“Simeão os abençoou e disse a Maria, a mãe: Este menino será causa de queda e de reerguimento para muitos em Israel. Ele será um sinal de contradição – e a ti, uma espada traspassará tua alma! – e assim serão revelados os pensamentos de muitos corações” (Lc 2,34-35). Maria carregava em seu coração o fogo trazido por seu Filho. Esposa do Espírito Santo, rogai por nós!
Não vim trazer a paz, mas a divisão.





MUNDO ANIMAL


Cãozinho na cama é tão bom… mas pode?


Dormir com um peludo fofo na cama pode ser considerado algo agradável e inofensivo para muitos tutores. No entanto, será que compartilhar o mesmo espaço de sono com o pet é um hábito saudável? O tema pode até dividir a opinião dos donos, mas quando os especialistas entram em jogo a recomendação é categórica: lugar de cachorro não é na cama.
A primeira preocupação tem a ver com a saúde. Há casos de transmissão de doenças entre cães e humanos, de você para seu pet e vice-versa. Esses problemas, conhecidos como zoonoses, podem incluir, por exemplo, raiva e dermatites. Mas não se apavore! Segundo médicos veterinários, o importante é manter a higiene dos animais.
 “Não há necessidade de manter os animais afastados dos tutores por causa das zoonoses. O primordial é ter um controle rígido da limpeza do cão e de suas vacinas”, diz Bárbara Nogueira, que atende no bairro da Lapa, em São Paulo.
Bárbara explica que a maioria dessas doenças são facilmente evitáveis com vermífugos e vacinas. Portanto, não há razão para paranoia: basta ficar de olho aberto para o asseio de seu cãozinho. A dica é reforçar a limpeza de partes do corpo que têm mais contato com o chão e a rua, como as patas. E lembre-se: você também pode passar doenças para o peludo, portanto cuide de sua higiene pessoal antes de partir para o sono, principalmente, se for uma soneca compartilhada.
Além da saúde, outro fator que preocupa especialistas é a qualidade da relação entre cães e donos, e como ela pode influenciar o comportamento dos bichos. Cachorros que dormem com seus tutores geralmente são muito mais ligados a eles do que se espera da convivência entre humanos e animais. Isso pode não ser visto como um problema pelos tutores, mas veterinários e adestradores garantem: a independência das mascotes é fundamental.
“Viver colado no dono é extremamente nocivo para o cachorro. Ele pode desenvolver síndrome de ansiedade de separação e ter problemas sérios de comportamento”, alerta Bárbara.
A síndrome de ansiedade de separação ocorre quando o pet não consegue mais ficar longe de seus donos. Em decorrência dessa dificuldade, hábitos como latir sem parar, destruir mobílias e fazer as necessidades no meio da casa, por exemplo, podem se tornar corriqueiros. “Determinar o espaço do dono e do cão é essencial para uma relação saudável e deve ser feito desde o nascimento do cachorro”, diz a veterinária.
Confira dicas para esse processo de mudança de comportamento:
- Determine um novo espaço para o cãozinho dormir, para que ele crie uma identificação, aos poucos, com o local. Pode ser uma casinha ou uma caminha para pets.
- Estimule o uso da nova área. Você pode recompensar o mascote com presentes ou brincadeiras quando ele for para seu novo ambiente de sono.
- Não deixe o animal subir mais em sua cama. Treine comandos para que ele entenda quando deve ficar e quando deve se afastar.
- Incentive seu pet a ficar sozinho em situações diferentes. Não deixe que ele o acompanhe por toda a casa ou em todas as tarefas. Ao se sentir confiante sozinho, ele naturalmente terá mais facilidade em se desvencilhar de você na hora da soneca.





MOMENTO DE REFLEXÃO


Um Asno, tendo colocado sobre seu corpo uma pele de Leão, vagou pela floresta, e divertia-se com o pavor que provocava nos animais que ia encontrando pelo seu caminho.
Por fim encontrou uma Raposa, e tentou amedrontá-la também. Mas Raposa tão logo escuta o som de sua voz, exclama:
Eu provavelmente teria me assustado, se antes não tivesse escutado seu zurro.
Moral da História:
Um tolo pode se esconder com belas roupas, mas suas palavras dirão a todos quem na verdade é.


(Esopo)

Diário de Quarta-feira 22/102014



Quarta-feira, 22 de outubro de 2014

"O mundo não está ameaçado pelas más pessoas, mas sim por aqueles que permitem a maldade."  (Albert Einstein)



EVANGELHO DE HOJE
Lc 12, 39-48

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo, + segundo Lucas.


Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 39“Ficai certos: se o dono da casa soubesse a hora em que o ladrão iria chegar, não deixaria que arrombasse a sua casa. 40Vós também ficai preparados! Porque o Filho do Homem vai chegar na hora em que menos o esperardes”.

41Então Pedro disse: “Senhor, tu contas esta parábola para nós ou para todos?” 42E o Senhor respondeu: “Quem é o administrador fiel e prudente que o senhor vai colocar à frente do pessoal de sua casa para dar comida a todos na hora certa? 43Feliz o empregado que o patrão, ao chegar, encontrar agindo assim! 44Em verdade eu vos digo: o senhor lhe confiará a administração de todos os seus bens. 45Porém, se aquele empregado pensar: ‘Meu patrão está demorando’, e começar a espancar os criados e as criadas, e a comer, a beber e a embriagar-se, 46o senhor daquele empregado chegará num dia inesperado e numa hora imprevista, ele o partirá ao meio e o fará participar do destino dos infiéis.

47Aquele empregado que, conhecendo a vontade do senhor, nada preparou, nem agiu conforme a sua vontade, será chicoteado muitas vezes. 48Porém, o empregado que não conhecia essa vontade e fez coisas que merecem castigo, será chicoteado poucas vezes. A quem muito foi dado, muito será pedido; a quem muito foi confiado, muito mais será exigido!”.


Palavra da Salvação
Glória a vós Senhor.





MEDITAÇÃO DO EVANGELHO
Padre Antonio Queiroz


A quem muito foi dado, muito será pedido.
Neste Evangelho, Jesus novamente nos convida à vigilância. Primeiro ele usa a comparação do ladrão que entra numa residência e quando a família menos espera. Assim é a chegada do Reino de Deus na nossa vida, será de surpresa.
Pedro pergunta a Jesus: “É para nós?” Jesus responde que sim. A mesma pergunta podemos fazer a Jesus hoje: “É para nós?” Ele vai responder que sim.
A parábola dos dois administradores um fiel e outro infiel, Jesus a contou para mostrar a Pedro que a advertência é principalmente para eles, os Apóstolos, que serão os futuros líderes e administradores da santa Igreja.
Em se tratando de um administrador ou administradora, o lucro ou o prejuízo para o Reino de Deus é maior, pois para onde eles vão, muita gente irá atrás. Isso vale para os pais, para os professores, para os líderes cristãos, para os religiosos e religiosas, padres, bispos, papa... E vale também para as lideranças políticas ou qualquer cargo de coordenação na sociedade.
O administrador fiel é transparente, não faz nada escondido do patrão. Já o infiel aproveita a ausência do patrão para praticar atos ilícitos e usufruir do cargo em benefício próprio.
Mas Deus nosso Pai, que na parábola está simbolizado no patrão, sabe de tudo; ele recompensará generosamente o administrador fiel, e castigará com rigor o infiel.
São apelos à nossa vigilância. A vida cristã é algo sério e temos de prestar contas a Deus de todos os nossos atos. E essa prestação de contas pode acontecer a qualquer momento. A vida cristã envolve os nossos compromissos na família, no trabalho, na escola, na sociedade, na Comunidade cristã, em tudo.
“Ficai preparados, porque o Filho do Homem vai chegar na hora em que menos esperais.” Quantas vezes falhamos nesses pontos, pensando que ninguém está vendo! Diante de Deus nada passa escondido e tudo será cobrado. Às vezes temos a tentação de fazer coisas erradas, porque ninguém nos conhece naquele lugar, ou ninguém está nos vendo. É justamente nessas horas que mostramos para Deus que tipo de fé é a nossa.
“Aquele empregado que, conhecendo a vontade do patrão, não agiu conforme a sua vontade, será chicoteado muitas vezes. Porém, o que não conhecia essa vontade e fez coisas que merecem castigo, será chicoteado poucas vezes.” Isso nos toca, pois conhecemos a vontade de Deus a nosso respeito. Portanto, a nossa responsabilidade é maior. Quem conhece os mandamentos e mesmo assim desobedece, peca mais do que aquele que não conhece os mandamentos. “A quem muito foi dado, muito será pedido.”
O que Deus mais quer de nós é que façamos bem aquilo que devemos fazer, cuidando do momento presente, e jogando tudo o mais, o nosso passado e o nosso futuro, nas mãos dele. Precisamos dar o melhor de nós para Deus. Deus merece, e certamente nos retribuirá cem vezes mais.
Certa vez apareceu, na roça de um agricultor, um formigueiro. Eram formigas devoradoras mesmo, que estavam destruindo a plantação. Então o homem não teve outra saída senão colocar na entrada do formigueiro um veneno em forma de grãozinhos, com aparência atraente às formigas.
Julgando que os pequenos grânulos eram comida, as formigas os apanharam e conduziram para dentro do formigueiro. Quando o agricultor voltou, no dia seguinte, todas as formigas estavam mortas.
Mas o agricultor ficou triste, porque outro formigueiro ao lado, cujas formigas não eram agressivas, também levaram a “comida” para dentro de suas casas e morreram.
Somos fracos, podemos nos enganar pelo inimigo. O pecado sempre se apresenta como algo bom e não nocivo. Depois que o praticamos, aí é que ele mostra todo o seu veneno. Por isso Jesus nos alerta: “Ficai atentos!”
Maria Santíssima foi de uma fidelidade admirável. Ela tinha a fidelidade própria de quem ama. A noiva espera a chegada do noivo e se prepara para isso com a maior alegria; assim era Nossa Senhora. Que ela nos ensine a sermos sempre vigilantes.
A quem muito foi dado, muito será pedido.





CURIOSIDADES


Conheça 10 germes que vivem em seu celular


Acha que seu celular é limpinho? Acompanhe a matéria e tente não ficar chocado com a quantidade de porcarias que ele pode apresentar!
Thamyris Fernandes 

Quantas vezes por semana você limpa seu celular? Se assustou com essa pergunta? Isso normalmente costuma acontecer, até porque a gente nunca se lembra que nossos inseparáveis celulares também precisam de uma “faxina” de vez em quando.
Aliás, muito gente – por mais que não vá admitir – nem sabia que uma limpezinha no celular fazia parte da vida. Mas, com toda a certeza, depois de ler a matéria de hoje esse “cenário” vai mudar e muitos vão ser os que vão sair atrás de um paninho por aí.
Isso porque vamos apresentar hoje, 10 das bactérias e fungos mais comuns nos aparelhos celulares, objetos que não saem de nossas mãos e que nos acompanham a qualquer lugar, inclusive ao banheiro. Confira:

1. Coliformes
Por mais que você não acredita, esses germes – que estão no seu celular nesse exato momento – geralmente encontrados nas fezes de todas as espécies animais. Aliás, pesquisas apontam que os coliformes estão em maior quantidade nos smartphones que em acentos de banheiros.

2. Escherichia Coli
Também conhecido como E.coli, essa bactéria também vive em seu aparelho celular. Mas, calma que não é o fim do mundo. Apesar da fama fatal que ela tem por aí, o E.coli não é necessariamente mau. Ele vive em nossos intestinos sem nos causar problemas, sabia? O problema é que, quando combinado a outro tipo bacterianos, ele pode causar infecções urinárias e gastroenterite.

3. Staphylococcus Aureus

Esse tipo de bactéria é o mais comum do ambiente e infecta 15% da população. Normalmente ela fica na pele e pode causar infecções sérias. Elas também são bastante presentes nos celulares, especialmente nos aparelho dos profissionais da saúde.

4. Streptococcus

Essa bactéria, que também é frequente nos celulares de todo mundo, se dividem em duas categorias: A e B. A primeira é mais comum em crianças que apresentam infecções de garganta e pode causar doenças mais graves na pele, como necrose. O tipo B, por outro lado, pode causar pneumonia e infecções, até mesmo no sangue.

5. Staphylococci Coagulase-Negativas

Essas são extremamente resistentes a antibióticos e, normalmente, são encontradas na pele humana e nas partes íntimas femininas. Embora sejam menos agressivas que as bactérias descritas no item anterior, essas aqui também podem causar infecções sanguíneas. Cerca de 15% dos celulares móveis estão contaminados por elas.

6. Corynebacterium

Causadora de difteria, essa bactéria é bastante rara nos países mais desenvolvidos, até mesmo porque há vacinas que atuam no seu combate. Apesar disso, ela ainda persiste em grande parte dos celulares, em uma versão mais branda, conforme apontaram pesquisas realizadas nos Estados Unidos.

7. Clostridium Difficile

São mais suscetíveis a ela as pessoas que precisaram usar antibióticos por períodos prolongados. Essa bactéria, que também está presente nos celulares, causa febre, náusea e diarreia.

8. Pseudomonas Aeruginosa

Uma das bactérias mais comuns nos celulares hoje em dia, essa bactéria causa infecções e é bastante resistente a tratamentos.

9. Mofo

Presente em 10% dos telefones celulares testados na Turquia.

10. Leveduras


Esses fungos estão presentes em muitos celulares por aí. Pelo menos eles estavam estavam comprovadamente em 1,5% dos aparelhos pesquisados.

- Ficou com medo? Então limpe esse celular!

Para limpar seu aparelho não é necessário nada muito sofisticado. Umedeça um pano com álcool 70%, daqueles encontrados em farmácias; e passe por todo o aparelho, exceto na tela. Melhor mesmo é tirar a bateria para fazer isso sem riscos.
A tela pode ser limpa com pano de microfibras ou com camiseta de algodão. Use movimentos leves, de dentro para fora, até que as marcas sumam da tela. No dia a dia, não é preciso utilizar álcool, mas um pano seco ou papel são importantes para retirar resíduos e digitais e evitar que a sujeira – e as bactérias – se acumulem.





MOMENTO DE REFLEXÃO


A felicidade e  infelicidade são o nosso estado de alma, ocasionados geralmente por fatores exteriores, que buscamos ou não. Quantas vezes a gente não se sente triste por causa de uma pessoa que nem sabe que nos ocasionou tristeza? Somos nós quem reagimos de uma maneira ou de outra ante o que nos acontece.

Resolvi hoje falar sobre a ingratidão, não ela em si, pois esse assunto eu gostaria de desenvolver em outro texto, mas sobre o nosso sentimento em relação às pessoas que achamos nos dever gratidão. Aquelas às quais nos dedicamos com amor, sem avaliarmos todas as conseqüências que carregam essa mesma palavra. E, por causa dessa dedicação, dessa entrega, renúncia em muitos casos, começamos a nos sentir injustiçados depois. E então a infelicidade toma conta do peito, da alma e vai nos deixando infelizes exatamente por que quisemos fazer a felicidade de uma outra pessoa. Tudo muito contraditório!...


Amar incondicionalmente é amar de olhos fechados e coração escancarado. É atravessar uma ponte e derrubá-la atrás de si, sem deixar retorno, sem esperar retorno. E se contentar dessa ação. Sentir-se recompensado e feliz simplesmente por ter dado algo de si. Utopia? Não, é uma questão de amor. Simplesmente.

Diário de Terça-feira 21/10/2014


Terça-feira, 21 de outubro de 2014

Os navios estão a salvo nos portos, mas não foi para ficar ancorados que eles foram criados.


EVANGELHO DE HOJE
Lc 12, 35-38

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo, + segundo Lucas.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 35Que vossos rins estejam cingidos e as lâmpadas acesas. 36Sede como homens que estão esperando seu senhor voltar de uma festa de casamento, para lhe abrirem, imediatamente, a porta, logo que ele chegar e bater. 37Felizes os empregados que o senhor encontrar acordados quando chegar. Em verdade, eu vos digo: Ele mesmo vai cingir-se, fazê-los sentar-se à mesa e, passando, os servirá. 38E caso ele chegue à meia-noite ou às três da madrugada, felizes serão, se assim os encontrar!


Palavra da Salvação
Glória a vós Senhor.





MEDITAÇÃO DO EVANGELHO
Padre Antonio Queiroz


Felizes os empregados que o senhor encontrar acordados quando chegar.
Neste Evangelho, Jesus nos faz um apelo à vigilância. “Que vossos rins estejam cingidos e as lâmpadas acesas”. Os orientais usam roupas largas, precisando então, para o trabalho, amarrá-las à cintura. Portanto, o sentido é a espera atenta e já preparado para trabalhar. Lâmpadas acesas é a graça de Deus, na qual precisamos sempre andar, pois não sabemos o dia nem a hora da chegada do Reino de Deus.
A redenção é comparada com uma festa de casamento, na qual Jesus, como Deus, é o noivo e nós a noiva. Mas este casamento (a redenção) só acontece concretamente para nós se estivermos atentos e sempre preparados.
Na parábola, quando o senhor bate na porta, não dá mais tempo de se preparar. O mesmo acontece conosco: quando o Senhor Deus bater à nossa porta, não haverá mais tempo de nos prepararmos. Daí a necessidade da vigilância constante, nas vinte e quatro horas do dia, nos sete dias da semana, nos 365 dias do ano, sempre.
Isso não é fácil, mas compensa, porque, se o Senhor nos encontrar preparados, a situação vai se inverter: nós seremos os “senhores” e ele o servo nosso. “Ele mesmo vai cingir-se, fazê-los sentar-se à mesa e, passando, os servirá”. Que coisa bonita! Mostra que Jesus não está interessado em nada, a não ser na nossa salvação. Como ele mesmo disse: “Quem é maior, o que está à mesa, ou aquele que serve? Não é o que está à mesa? Eu estou no meio de vós como aquele que serve” (Lc 22,27).
Existem até religiões que dizem saber quando o Senhor virá, ou quando será o fim do mundo. Mas Jesus disse várias vezes que ninguém tem condições de saber isso. O que precisamos é atender ao seu apelo e viver sempre preparados.
Não podemos ficar nem um minuto com a nossa lâmpada apagada, pois a qualquer momento poderá acontecer a chegada do Reino de Deus. O nosso encontro com Deus acontece não só na nossa morte, mas de muitas outras formas. A vida é cheia de momentos altos, em que devemos dar um forte testemunho. E isso acontece de repente. Por isso que os santos diziam: “Eu temo o Senhor que passa”. Ou “Quando Jesus passar eu quero estar no meu lugar”.
A nossa vida futura é muito mais importante que esta, por isso precisamos pensar um pouco nela e viver sempre preparados.
A vigilância é também atitude própria de quem ama. É a lâmpada acesa do amor que nunca se apaga. Quantas mães, esposos e namorados passam o dia e a noite olhando pela janela para ver se seu amado ou a sua amada está chegando! O nosso amor a Deus vai nessa linha, e muito mais.
Havia, certa vez, uma casa bonita, mas o quintal deixava muito a desejar. Era um terreno abandonado, maltratado, oferecendo um aspecto desolador.
Numa manhã de feriado, o marido, sem ter o que fazer, pensou: Já que minha esposa foi visitar seus pais, eu vou melhorar esse quintal. Pegou a enxada, cavou fundo, revirou a terra, quebrou os torrões, misturou com adubo... No dia seguinte, ao voltar do trabalho, traria sementes de verduras e estaria pronta a horta.
A esposa voltou à noite e nada viu. Mas no outro dia cedo, ao ver o terreno preparado, teve uma idéia: plantar flores. Correu ao mercado, plantou sementes e as plantou. O marido, por sua vez, plantou as sementes de verduras. Sem saber os planos um do outro, ficaram esperando os resultados.
Quando as verduras começaram a pintar de verde a terra, apareceram os pesinhos de flor. O marido pensou ser uma praga, por isso arrancou tudo. Com igual raciocínio, a mulher arrancou as verduras. E continuaram esperando... mas nada!
No lar em que o casal não tem diálogo acontece isso de muitas formas diferentes, principalmente na educação dos filhos. O que um faz o outro tira, dando tudo errado. E o prejuízo é muito maior que perder umas sementes.
O amor matrimonial é como uma plantinha, que deve ser regada todos os dias pela oração e pelo diálogo. Que o Senhor não nos pegue de surpresa!
Maria Santíssima era vigilante; ela tinha a atenção amorosa de quem se prepara para o encontro com um grande amor. Por isso, no fim de sua vida terrena nem precisou morrer e já passou direto para a convivência com a Santíssima Trindade, já que ela é filha de Deus Pai, esposa de Deus Espírito Santo e mãe de Deus Filho. Vamos pedir a Maria que nos ajude a ser vigilantes.
Felizes os empregados que o senhor encontrar acordados quando chegar.




MOTIVAÇÃO NO TRABALHO


É serotonina


A Serotonina é um neurotransmissor que tem influencia direta em várias funções humana e seu estudo é de grande interesse por que suas atividades possuem grande correlação com o sono, humor, atividade sexual, apetite, entre outras.
Sabe-se que quando a produção deste neurotransmissor está deficiente no organismo, podemos desenvolver doenças como depressão e transtornos de ansiedade, entre outros mais específicos.
Sua produção pode ser aumentada com o consumo de alimentos ricos em triptofano, um aminoácido, e carboidratos. É por isso que quando alguém está chateado e como um doce tem a sensação de que melhorou.
Na Inglaterra, o estudo Food and Mood Project (Projeto Comida e Humor) revelou que mudanças no que comemos podem ser positivas para a saúde mental. Cerca de 200 pessoas fizeram uma dieta recomendada e avaliaram o impacto da mudança nutricional no seu humor. A experiência mostrou que 26% tiveram uma melhora na instabilidade emocional, 24% na depressão e 26% em ataques de pânico e ansiedade. Os indivíduos estudados diminuíram o consumo de açúcar, cafeína, álcool e chocolate e aumentaram o de frutas, peixes e líquidos.
Uma observação importante: ficar muito tempo sem comer reduz os níveis de glicose, o que pode afetar negativamente o humor. Assim, o ideal é alimentar-se seis vezes ao dia: café-da-manhã, lanche, almoço, lanche, jantar e ceia.

E para começar bem o dia ou para um lanche da tarde refrescante, tome note da receita do Suco Verde, feito com ingredientes que irão elevar sua produção de serotonina.
Ingredientes:
250ml de água de coco
2 rodelas de abacaxi ou 1 laranja ou 1 maçã
1 folha de couve
3 rodelas de gengibre
suco de 1/2 limão
1 colher (sopa) de salsa
1 colher (sopa) de semente de linhaça dourada
gelo a gosto
Bata bem todos os ingredientes no liquidificador e consuma imediatamente.
Principais Alimentos-fonte: cacau em pó, banana, aveia, folhas verde-escuras, semente de girassol e abóbora, oleaginosas, peixes e frutos do mar, laranja/maracujá e jabuticaba, brócolis, leite, ovos, pimenta, alface.
http://melhorcomsaude.com
http://www.sitemedico.com.br/site/boa-forma/nutricao



MOMENTO DE REFLEXÃO

Receita de felicidade eu já vi. Ponto por ponto. Conselhos. Mas existe mesmo uma receita, se consideramos que felicidade é uma coisa individual? Se levamos em conta que o que é bom pra mim não é necessariamente bom para o meu próximo?
Existe, certo, pontos onde podemos definir que podem ser a base para a felicidade de uma maneira geral, mas isso mesmo não é a felicidade em si. Costumamos fazer projetos para os nossos filhos, às vezes irmãos mais novos e até amigos próximos. Jogamos sobre eles nosso próprio desejo de conseguir alguma coisa e colocamos sobre isso a nossa própria expectativa de felicidade sem nos darmos realmente conta se aquilo será realmente o que aquele pessoa deseja para a sua realização pessoal e se aquilo está dentro do padrão do que aquela pessoa deseja para si mesma. Queremos que as pessoas vivam segundo nossos projetos e não segundo eles próprios.
E quando essas pessoas dizem não, nos decepcionamos. Às vezes cometemos até o erro de tentar fazê-los mudar de opinião.
Na verdade, ao agirmos assim, não estamos pensando na felicidade do outro, nem mesmo no outro. Estamos pensando em nós, no quanto nos abala saber que as pessoas são diferentes da gente, muitas vezes até no quanto elas são capazes em coisas que nós mesmos nunca tivemos a coragem de assumir.
Mas minha felicidade ou infelicidade, não é a felicidade ou infelicidade de ninguém. A do outro também não é minha. Eu não sei, mesmo se o conheço profundamente, quantas noites ele ficou sem dormir porque se sentia infeliz ou o quanto sonhou acordado com coisas que eu nem posso supor.
É errado sofrer sofrimento dos outros. E injusto também. Isso pelos dois lados.
É importante deixar a cada um o direito de ser feliz como ele sente ou aspira. Se sentir feliz por alguém e ser feliz por esse mesmo alguém são duas coisas distintas. Amamos e nos preocupamos com alguém e isso é muito natural e mesmo sadio, mas é importante saber se liberar do peso de se sentir feliz ou infeliz por outra pessoa, mesmo se a amamos muito!


Letícia Thompson
contact@leticiathompson.net


Diário de Segunda-feira 20/10/2014


Segunda-feira, 20 de outubro de 2014


A "reverência pela vida" exige que sejamos sábios para permitir que a morte chegue quando a vida deseja ir. (Ruben Alves)



EVANGELHO DE HOJE
Lc 12, 13-21


— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo, + segundo Lucas.


Naquele tempo:
13Alguém, do meio da multidão, disse a Jesus: "Mestre,
dize ao meu irmão que reparta a herança comigo."
14Jesus respondeu:
"Homem, quem me encarregou de julgar
ou de dividir vossos bens?"
15E disse-lhes:
"Atenção! Tomai cuidado contra todo tipo de ganância,
porque, mesmo que alguém tenha muitas coisas,
a vida de um homem não consiste na abundância de bens."
16E contou-lhes uma parábola:
"A terra de um homem rico deu uma grande colheita.
17Ele pensava consigo mesmo:
"O que vou fazer?
Não tenho onde guardar minha colheita".
18Então resolveu: "Já sei o que fazer!
Vou derrubar meus celeiros e construir maiores;
neles vou guardar todo o meu trigo,
junto com os meus bens.
19Então poderei dizer a mim mesmo:
- Meu caro, tu tens uma boa reserva para muitos anos.
Descansa, come, bebe, aproveita!"
20Mas Deus lhe disse: "Louco!
Ainda nesta noite, pedirão de volta a tua vida.
E para quem ficará o que tu acumulaste?"
21Assim acontece com quem ajunta tesouros para si mesmo,
mas não é rico diante de Deus."


Palavra da Salvação
Glória a vós Senhor.





MEDITAÇÃO DO EVANGELHO
Padre Antonio Queiroz


E para quem ficará o que acumulaste?
Este Evangelho começa com o pedido de um homem a Jesus para que dissesse ao seu irmão que repartisse com ele a herança. Jesus não atende o pedido e explica que essa não é função dele. Em seguida, conta a parábola do homem rico que teve uma grande colheita.
“Tomai cuidado contra todo tipo de ganância.” Ganância é sinônimo de ambição. É o desejo exagerado de possuir bens materiais. Ela cega a pessoa; quanto mais tem, mais quer. A sede de possuir bens é insaciável. A ganância endurece o coração, tornando a pessoa insensível diante do sofrimento alheio. Ela tira o sentimento de compaixão. Ela divide a família. Veja o homem que pediu a Jesus que mandasse seu irmão dividir com ele a herança. Sinal que os dois não chegaram a um acordo.
“A vida de um homem não consiste na abundância de bens.” A riqueza traz uma felicidade ilusória. A felicidade não depende do acúmulo de bens materiais, mas depende, em primeiro lugar, de Deus. É ele que nos dá a paz, a saúde do corpo, da alma e do espírito. É Deus que nos dá o amor fraterno que une a família, os amigos, os namorados e casais... A nossa felicidade depende, portanto, da graça de Deus.
O pior problema do ganancioso é que, do domínio dos bens materiais, ela leva ao domínio das pessoas quebrando a fraternidade. E vai aos poucos colocando tudo a seu serviço, inclusive Deus. O ganancioso ou gananciosa quer colocar Deus como seu empregado.
Já o pobre é diferente; ele não se basta a si mesmo e está acostumado a depender dos outros em muitas coisas. Por isso não tem nada a exigir. O pobre não domina as pessoas.
Na parábola do rico que teve a grande colheita, Jesus o chama de louco, e explica: “Ainda nesta noite pedirão de volta a tua vida. E para quem ficará o que tu acumulaste?” De fato, o ganancioso é louco. E quantos caem nessa loucura! Por causa dos bens materiais, ele perde os amigos, sacrifica a saúde, a família e principalmente a vida eterna. Sendo que não precisava nada disso, porque Deus cuida dos seus filhos e filhas mais que das flores do campo e das aves do céu, às quais não falta nada.
Quanta injustiça se comete, quanta dor, quanta lágrima, quanto sangue é derramado por causa da ganância!
S. Jerônimo dizia: “Todo rico é injusto ou herdeiro de um injusto. Porque ninguém ajuntaria fortuna, se outros não tivessem sido espoliados”.
E Sto. Ambrósio dizia: “Ao ajudares os pobres, não dás do que é teu, mas do que é deles”. De fato, Deus criou o mundo, com todos os bens que nele existem, para todos os seus filhos e filhas. Quando um tem de sobra, o que lhe está sobrando pertence a quem não tem o necessário para viver.
E Jesus termina o Evangelho de hoje pedindo para sermos ricos diante de Deus, isto é, sermos ricos dos valores que Deus aprecia: o amor, a sabedoria, a justiça, a verdade, a fé...
Ser rico diante de Deus é fazer como aquele homem da parábola do tesouro. Ele vendeu tudo o que possuía para adquirir o tesouro. Depois que adquiriu o tesouro, ele recuperou tudo o que antes possuía, e muito mais. Na verdade, os filhos de Deus são herdeiros do mundo, pois o mundo é de Deus. Tornar-se rico diante de Deus é o melhor investimento que uma pessoa pode fazer.
Certa vez, um jovem casal estava hospedado em um hotel numa cidade turística, fazendo sua lua de mel. Numa noite, eles resolveram jantar em um restaurante. Era simples mas parecia muito acolhedor. Gostaram da comida e do ambiente.
Quando terminaram a refeição, dirigiram-se ao caixa para o pagamento. A senhora responsável, de alguma forma percebeu que eram recém casados e perguntou-lhes se aceitariam um presente. Eles responderam que sim e ela abaixou no balcão, pegou uma pequena casa de porcelana. Ao lhes entregar o presente, ela disse: “Façam de sua casa um lar sempre aquecido pelo amor”.
Quantos casais brigam por questões financeiras! O amor está acima de todos os bens materiais. Mesmo que seja para morar debaixo de uma ponte, o casal não deve desunir-se por causa de dinheiro.
A maior riqueza de Maria Santíssima era o seu Filho Jesus. Que o amor a ele seja para nós também a maior riqueza.
E para quem ficará o que acumulaste?





MOTIVAÇÃO NO TRABALHO


Acabou o recreio
Escrito por Luiz Marins


Este ano não só começou mais cedo, como vai terminar mais rápido. No Brasil temos o hábito de dizer que o ano começa mesmo, depois do carnaval. Já se foram as festas de final de ano, o ano novo e o carnaval. Já estamos na metade de fevereiro e o primeiro semestre vai voar. Teremos menos feriados prolongados. Assim, este ano será de muito trabalho. Acabou o recreio!



Quem não entender esta verdade e pensar que o recreio continua, com certeza ficará para trás nesta corrida, em que a competição global nos colocou, de castigo, num canto do mundo, excluído do resto da classe, apenas invejando o sucesso alheio.

Agora, pois, é hora de encarar a realidade e fazer as coisas acontecerem. Este ano não será fácil porque a competição aumentará. Temos que ter muita qualidade, muita garra e disposição para o  trabalho.Temos que aprender a reclamar menos e fazer mais; a passar do plano do choro, ao plano da ação.

Assim, acabe com a ilusão de vencer pelo caminho fácil, arregace as mangas e coloque a mão na massa. Analise como você pode ser melhor. Melhor em tudo. Melhor patrão, melhor chefe, melhor funcionário, melhor fornecedor, melhor cliente. Descubra seus pontos fortes e os reforce. Pense em seus pontos fracos e acabe com eles, antes que eles acabem com você.

Lembre-se: o recreio acabou! Agora é fazer a lição, sem reclamar, para passar de ano.

Pense nisso. Sucesso!






MOMENTO DE REFLEXÃO


Uma carta escrita em um momento de desespero assinalaria o final de uma existência.
Entre prantos e lágrimas, eram narradas todas as dificuldades de uma jornada marcada por desilusões e infelicidades.
Finalmente acabaria com essa trajetória trágica, não mais haveria dor. Ficariam para trás todos aqueles que foram os seus algozes. Sim, não haveria outra saída para uma existência marcada por tanto sofrimento.
Contudo havia um problema, para quem escreveria aquela carta?
Em meio a tanta dor, não se lembrava de um amigo.
Aliás, se o tivesse, não precisaria recorrer a esse último recurso. Isto fortalecia sua decisão, não havia motivo para continuar, queria o descanso eterno.
Porém, o problema continuava: quem receberia sua carta?
De repente, em meio ao seu desequilíbrio, teve uma idéia: colocaria no correio enviando para sua própria pessoa, e quando chegasse executaria a ação derradeira.
Saindo para o correio percebeu que o céu estava com um lindo azul e que algumas aves voavam apesar da poluição da cidade, não encontrando uma árvore sequer para os seus ninhos.
Algumas flores, mesmo estando em terreno árido, insistiam em apresentar as suas cores.
Suas observações foram interrompidas por uma colisão. Batendo em uma pessoa que vinha em direção oposta derrubou a carta, a qual se misturou com tantas outras cartas que a pessoa trazia.
Pegou a carta e resmungando, "Nem para morrer se tem paz".
Decidiu, então, não prosseguir para o correio, voltaria para casa e deixaria a carta exposta, testemunha de sua dor para quem a encontrasse.
Ao chegar em casa percebeu quer aquela não era a sua carta; na colisão pegou a errada.
E agora, quais serão as suas últimas palavras?
Parou para ler a carta trocada e se espantou com o que encontrou.

A carta dizia:

"Meu Deus, como posso lhe agradecer a presença amorosa em todos esses anos de vida? É verdade que foram anos difíceis, mas nunca me abandonastes, mesmo nos momentos de dor e solidão sempre encontrei Sua presença, aliviando o meu fardo.
Hoje me arrependo por um dia ter pensado em pôr fim a minha vida, atentando contra Sua Lei esquecendo-me que a morte não existe.
Agora compreendo a necessidade de experiências difíceis para o meu crescimento. Por isso gostaria de fazer algo de bom. Pensei em escrever várias cartas pela cidade transmitindo o seu amor. Confio que me guiarás para chegar às pessoas que necessitam.
Estou feliz, não porque as dores acabaram, mas porque encontrei a Tua companhia e com ela vencerei todos os obstáculos.
Irmão que recebeste esta carta confie, ore e prossiga. Não existem males intermináveis e nem dores infinitas; a cada porta que se fecha novas luzes entram por outras janelas que se abrem.
Confie, Deus guiará o seu caminho, lhe retirando as estradas das trevas para o caminho da luz. Lembre-se que nenhuma ovelha se perderá".
Ao terminar a leitura chorou de arrependimento e conversou com o Pai de Infinita Misericórdia. Novas energias chegaram ao seu coração, que se acalentou. Então, percebeu que há muitos dias não abria as suas janelas, havia se fechado para a vida.
Correu e abriu as janelas, deixando a luz entrar e retomou a vida, agradecendo a Deus por ela e por aquela carta que lhe trouxera nova direção.